Pesquisa e Extensão

O campo de estudos das articulações vida, saúde e trabalho abriga projetos transversais às disciplinas de distintas áreas do conhecimento: saúde coletiva, engenharia de produção, psicologia social, sociologia do trabalho, ciências da reabilitação para ser breve. Entendemos que os processos de trabalho são desenvolvidos em situações ou circunstâncias particulares. A depender dos tipos de relação social que norteiam o processo produtivo, as circunstâncias de realização de um determinado trabalho podem ser reconhecidas como condições de trabalho, as quais são definidas num determinado contexto histórico-social. Sendo marcadas pela sua historicidade, as condições de trabalho não são dadas a priori. Não sendo inerentes aos processos produtivos, mas, sim, determinadas socialmente, estão potencialmente abertas a novos critérios. Em tal contexto, sociopolítico, a geração de conhecimento e o desenho de ferramentas de intervenção configuraram campo profícuo para as pesquisas conduzidas no Núcleo de Estudos Saúde e Trabalho..

As categorias – saúde e trabalho – se referem a fenômenos que, por sua natureza, são cambiantes. O uso do corpo no trabalho está associado a uma série de fenômenos de saúde, para os quais ainda temos dado pouca visibilidade e mínimas vias de transformação. Nos contornos da reestruturação produtiva, a desigualdade no interior dos processos de trabalho provoca danos sobre a saúde, os quais nem sempre são bem traduzidos ou dimensionados.

Se as condições de trabalho hoje são sensivelmente melhores que antigamente, numerosos problemas se colocam e, muitas vezes, de maneira aguda. Muitas das questões levantadas pertencem ao campo da ação preventiva, outros da pesquisa, se quisermos, em um esforço de análise, dissociá-las. Mas o campo da saúde do trabalhador se distancia da postura que favorece o acúmulo de conhecimentos já adquiridos sem avançar nas ações práticas. Sob esse prisma, a iniciativa na linha de pesquisa é de investigar objetos inexplorados ou aqueles que permanecem em suspenso no campo das relações saúde e trabalho.

Na tentativa de abranger os fenômenos complexos que envolvem as dimensões humanas implicadas no trabalho, o ponto de vista que orienta a análise dos resultados empíricos obtidos no desenvolvimento das pesquisas entende a saúde para além da concepção de ausência de doenças, expandindo para os aspectos econômicos, sociais e psicológicos. As pesquisas dizem respeito aos cenários contemporâneos dos sintomas mórbidos dos trabalhadores foco das abordagens.

As investigações conduzidas na linha de pesquisa condições de trabalho e saúde enfrentam teoricamente e na prática as manifestações de saúde que é alterada no seio da sociedade devido aos efeitos da desigualdade da distribuição dos bens produzidos, paralelamente ao acúmulo de conhecimentos e ao choque contínuo dos conflitos sociais que se dão na esfera da produção dos bens e serviços.

Página Inicial

Voltar