Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

Vacinação: especialista desvenda mitos e destaca sistema imunológico


Publicado em: Aspas SonorasExternas - 3 de agosto de 2017

Nesta edição das Aspas Sonoras, entenda alguns mitos sobre a vacina, além dos benefícios e riscos que a falta dela pode causar

Marcos Paulo Rodrigues*

Medida preventiva de impacto para a saúde pública que vem evoluindo desde a criação do Plano Nacional de Imunizações, em 1973, a vacina é considerada pelos especialistas a forma mais segura e eficaz de proteção contra doenças infecciosas. Mesmo assim, algumas pessoas ainda se recusam a participarem de campanhas de vacinação, muitas vezes receosas por “mitos” sobre o assunto.

Um desses “mitos” sugere que a própria vacina da gripe pode provocar a infecção. A infectologista e professora do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, Marise Fonseca, esclarece essa questão e comenta alguns aspectos que facilitam a contaminação no período em que a vacina costuma ser distribuída no país:

 

Outro “mito” pode influenciar um grupo considerado alvo do calendário de vacinação: as gestantes e mulheres que estão em período de lactação. Essa parte da população passa por um período de baixa no sistema imunológico e, por isso, alguns indivíduos acreditam que ela não deve se vacinar. Marise aponta a importância da vacinação desse grupo citando o vírus Influenza:

Foto: Carol Morena

 

Apesar de a maioria das pessoas reagirem de modo saudável à vacinação, isso depende das individualidades do sistema imunológico de cada indivíduo. Mais detalhes sobre a reação às vacinas e sua eficácia, você confere no programa de segunda-feira da série “Vacinação”, produzida pelo Saúde com Ciência.

Uma possível reação negativa à vacina é a manifestação de alergias devido ao seu processo de fabricação. Algumas reações, porém, não restringem o uso da vacina, como explica a professora:

 

Não é consenso entre a população buscar a vacinação de doenças tidas como mais leves, caso da catapora. No entanto, também não é possível prever com qual gravidade a doença pode se instalar no organismo do indivíduo:

 

Outro ponto importante da vacinação é que, além de prevenir enfermidades individualmente, ela visa a imunidade coletiva da população como um todo. Marise Fonseca reforça, portanto, que eventos adversos como alergias ou boatos sobre efeitos colaterais, não devem se sobrepor aos benefícios proporcionados pela vacina, mais relevantes do que a falta dela:

 

Cartão de vacinas

Um importante instrumento que ajuda no controle das vacinas tomadas pelo indivíduo é o cartão de vacinação. Nele, a pessoa acompanha o calendário que corresponde ao conjunto de vacinas prioritárias para o país. A importância desse cartão também é divulgada no programa de terça. Muita gente não o reconhece como um documento e perde o cartão. Caso isso aconteça, a especialista indica como deve ser feito esse controle:

 

Aspas Sonoras

As “Aspas Sonoras”, produção do Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG, ampliam a discussão sobre os temas abordados nas séries realizadas pelo programa de rádio Saúde com Ciência. As matérias apresentam áudios e textos inéditos daquilo que foi apurado durante as produções.

A série “Vacinação” foi ao ar entre os dias 26 e 30 de junho de 2017. Nela foram abordados, além da atuação da vacina no organismo e o Calendário Nacional de Vacinação, assuntos como o controle de surtos e a saúde do viajante.

*Edição: Lucas Rodrigues

    Contador de visitas: 656 visualizações

    Veja também: