UFMG apóia lançamento da UnaSUS


Publicado em: Notícias - 23 de junho de 2008

“Trata-se de um salto importante na própria melhoria dos serviços prestados pelo SUS, pois a má qualificação profissional é hoje uma das principais defasagens das equipes de saúde da família, e que põe em risco a própria Estratégia de Saúde da Família”.

A avaliação é do coordenador de monitoramento e avaliação do Programa Ágora, Raphael Aguiar, sobre a criação da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde, a UnaSus, lançada nos dias 18 e 19, em Brasília.

O objetivo da iniciativa, da qual a UFMG é participante ativa, é a de qualificar, até 2011, os mais de 150 mil profissionais do SUS, por meio de cursos a distância. A expectativa é que 52 mil sejam formados especialistas em Saúde da Família e os outros cerca de 100 mil recebam capacitação gerencial. E é essa escala grandiosa o grande diferencial do novo projeto.

Lançamento

O evento contou com a presença dos ministros da Saúde e da Educação, José Gomes Temporão e Fernando Hadadd; do secretário de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde, Francisco Eduardo de Campos; do diretor da Faculdade de Medicina, Francisco Penna, além do coordenador em exercício do Nescon, Edison Corrêa, entre vários convidados.

Na ocasião, Edison Corrêa apresentou as experiências do Nescon em educação a distância e oferta de cursos de especialização em saúde da família. Através do BH Vida Integral realizado em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte, o Núcleo capacitou mais de mil profissionais para prestar serviços à comunidade, entre médicos e enfermeiros.

Na opinião do representante da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e da Organização Mundial de Saúde (OMS) em Brasília, Diego Victória, a meta é audaciosa e só pode ser alcançada com o ensino a distância: “com o ensino tradicional não se poderia chegar a uma meta dessas em quatro anos”. O ministro Temporão concorda, e, segundo ele, além da internet estão sendo avaliadas outras formas de educação a distância que possam contribuir para o alcance dos objetivos traçados.

O curso da UFMG

Lançado em março deste ano, o Curso de Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família, outra iniciativa do gênero, pretende formar pelo menos mais 1.200 desses trabalhadores.

“Essas experiências devem inspirar escolas, secretarias de saúde, associações científicas e outros parceiros, que dividirão entre si as tarefas de elaboração de material didático, supervisão pedagógica das atividades da UnaSus”, observa Aguiar.

Tudo começou com uma rede colaborativa entre a Opas (Organização Pan-americana de Saúde) e o Ministério da Saúde (MS), gerida pelo Nescon, para a formação de especialistas em saúde da família, a Rede MAES (Rede Multicêntrica de Especialização em Saúde da Família).

“Pode-se dizer que a Unasus, de certa maneira, foi gestada aqui no Nescon. A partir desse projeto acabamos percebendo a necessidade da criação de um programa que concentrasse e ampliasse as iniciativas desenvolvidas pela Rede, coordenado pelo MS, que é a Unasus”, explica Raphael Aguiar.

A iniciativa deu certo. A UnaSus será mantida com recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), da ordem de R$160 milhões de reais.

Leia mais
Nescon participa de lançamento da Universidade Aberta do SUS – 17 de junho de 2008

Leia também
Unasus deve especializar mais de 50 mil profissionais até 2011 – 18 de junho de 2008

Experiência com Unasus pode ser exemplo para outros países, afirma Opas – 18 de junho de 2008

Redação: Zirlene Lemos – Jornalista
nescon@medicina.ufmg.br

    Contador de visitas: 150 visualizações

    Veja também: