Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


A partir da primeira semana de maio, cerca de 100 entrevistadores darão início à aplicação de questionários da Pesquisa sobre Saúde e Prevenção da Violência (Sauvi), que irá abranger cerca de 5,5 mil famílias de três cidades da Região Metropolitana: Belo Horizonte, Betim e Sete Lagoas. Os dados coletados serão objeto de análises desenvolvidas junto ao Mestrado Profissional de Promoção da Saúde e Prevenção da Violência da Faculdade de Medicina da UFMG.

Sauvi 1

Treinamento da equipe que fará a aplicação dos questionários, realizado no dia 12 de abril, na Faculdade de Medicina da UFMG. Foto: Andréia Cirina

Serão analisados fatores como condições sociodemográficas, de saúde, trabalho e os diferentes tipos de violência observados (violência no trânsito, doméstica, institucional, comunitária e autoinfligida), separadamente entre crianças e adolescentes, homens, mulheres e idosos. O objetivo é investigar o perfil da violência e sua dinâmica, seus determinantes, sua distribuição geográfica e as formas de enfrentamento.

Com o mote “só conhecendo a realidade poderemos superar a violência”, a Pesquisa Sauvi conta com a parceria dos municípios envolvidos e com o apoio do Ministério da Saúde. “A proposta é subsidiar a formulação de políticas públicas municipais de promoção da saúde e prevenção da violência”, afirma a professora Elza Machado de Melo, coordenadora do projeto. Segundo ela, a pesquisa poderá ser também reproduzida em outros municípios, posteriormente.

A amostra abrange moradores de bairros centrais e da periferia de cada uma das cidades. “A ideia é termos representados todos os estratos sociais, da população mais pobre à mais rica”, afirma Elza Melo. Os entrevistados já foram selecionados e irão receber em casa uma carta com esclarecimentos sobre a pesquisa.

Os entrevistadores são estudantes da UFMG, professores e alunos do mestrado profissional em Promoção da Saúde e Prevenção da Violência, além de profissionais de saúde das redes municipais. Eles estarão identificados com crachás, coletes e demais credenciais referentes à pesquisa. A duração prevista para a aplicação do questionário é de 40 a 60 minutos.

 

    Contador de visitas: 228 visualizações

    Veja também: