Notícias Internas

UFMG lança chamada para intercâmbio na América Latina


Publicado em: InternasOportunidades - 20 de setembro de 2017

Estudantes de graduação que tenham concluído pelo menos 20% dos créditos necessários para integralização curricular podem se habilitar para concorrer a intercâmbio em universidades ibero-latino-americanas. Chamada unificada lançada nesta terça-feira, 19, pela Diretoria de Relações Internacionais (DRI) define regras e prazos das inscrições e da seleção, que abrange cerca de 100 vagas para mobilidade em 2018, em universidades de nove países: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Espanha, México, Paraguai, Peru e Uruguai.

A submissão das inscrições deve ser feita no portal MinhaUFMG, de 2 a 5 de outubro, por meio de formulário específico e envio de documentos, entre os quais, certificado de proficiência linguística em língua espanhola. O processo seletivo também contempla ações afirmativas.

De acordo com a diretora adjunta de Relações Internacionais, professora Deise Prina Dutra, ao estabelecer a chamada unificada, a intenção é otimizar a utilização das vagas. Como há vários programas na região, cada vez que uma chamada específica era lançada, os estudantes precisavam providenciar documentos e nem sempre tinham condições de cumprir prazos. “A partir de agora, os alunos vão se habilitar para concorrer a todas as vagas que surgirem”, esclarece.

A chamada alcança programas como o Escala Estudantil, criado em 1999 com o objetivo de apoiar a mobilidade internacional de alunos de graduação entre as instituições que integram a Associação de Universidades do Grupo Montevidéu (AUGM). Para 2018, por meio do Escala Estudantil, há aproximadamente 45 vagas distribuídas em instituições de cinco países, como as universidades de Buenos Aires e de Santiago de Chile.

Também estão incluídos na chamada os programas Brasil-Colômbia (Bracol), Brasil-México (Bramex) e Mobilidade Acadêmica Regional para Cursos Acreditados (Marca), promovido pelos países do Mercosul. De acordo com o texto da chamada, poderão surgir, ao longo de 2018, vagas em outros programas de mobilidade no espaço latino-americano, entre eles o Santander Universidades.

Carta e vídeo
Para submeter a inscrição, o estudante deverá produzir e publicar uma carta de intenções e um vídeo, ambos em língua espanhola, que justifiquem seu interesse pelo intercâmbio. Na próxima quarta-feira, 27, serão realizadas sessões de treinamento sobre a produção da carta e do vídeo. Abertas ao público, as atividades ocorrerão no auditório A 102 do Centro de Atividades Didáticas de Ciências Humanas (CAD 2), em dois horários: às 11h e às 17h. “Embora possa ser um pouco menos formal que a carta, o vídeo deve conter informações que atendam a determinados requisitos”, esclarece a professora Deise Dutra.

A pontuação para classificação dos candidatos também inclui o cumprimento da carga horária do curso e análise do Curriculum vitae. Nesse último item, são analisadas atividades como bolsista – de iniciação científica, extensão ou monitoria – e participação em estágios ou atividade profissional correlata ao curso.

O intuito, esclarece Deise Dutra, é estimular o aluno a “viver a Universidade e suas oportunidades, o que torna a experiência acadêmica mais rica e impactante na sua formação”. Além disso, trata-se de levar o graduando ao exercício “de se colocar como acadêmico, que pode se beneficiar de muitas ações oferecidas ao longo do seu percurso formativo”.

Ações afirmativas
Com o objetivo de assegurar mecanismos de inclusão e ações afirmativas nas mobilidades internacionais promovidas pela DRI, as vagas serão prioritariamente destinadas a estudantes cotistas e parte delas direcionada a graduandos pretos, pardos e índios. Na chamada, os cotistas são divididos em quatro grupos, de acordo com o perfil de ingresso na Universidade, registrado no Sistema de Seleção Unificada (Sisu): baixa renda e pretos, pardos ou índios; baixa renda; pretos, pardos ou índios; egressos de escola pública que não se enquadrem nos perfis anteriores.

Seleção
O processo seletivo terá duas etapas. A primeira, eliminatória, consiste na análise técnica de toda a documentação submetida eletronicamente pelo candidato no ato da inscrição.  Nela, serão validados os certificados de proficiência submetidos pelos candidatos e pontuados o histórico escolar e os comprovantes do currículo inseridos pelos candidatos no momento da candidatura. A segunda etapa, classificatória e eliminatória, consiste na avaliação qualitativa da carta de intenções e do vídeo de apresentação oral.

Os candidatos habilitados serão convocados por meio de chamada adicional, divulgada no site da DRI, para escolher a instituição estrangeira na qual tenham interesse em realizar a mobilidade internacional, com base em sua classificação e observando-se o número de vagas disponíveis.

Os estudantes habilitados serão convocados pelo e-mail registrado no cadastro do aluno, sempre e quando surgirem vagas. Somente os candidatos habilitados nesse processo seletivo serão chamados para ocupar as vagas disponíveis. O candidato deve manter atualizado seu endereço eletrônico, meio pelo qual a DRI fará contato para eventuais ajustes no processo de inscrição e para as chamadas.

A lista dos candidatos habilitados na primeira etapa será divulgada a partir de 23 de outubro, na página da DRI, em listagem ordenada sequencialmente pela pontuação obtida e identificada pelo número de matrícula dos candidatos. O resultado da segunda etapa será divulgado a partir do dia 13 de novembro, no mesmo site.

Redação: Cedecom/UFMG

 

    Contador de visitas: 437 visualizações

    Veja também: