Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


UFMG debate Influenza A


Publicado em: Notícias - 10 de junho de 2009

Atualizada em 12/06/09 - 09h01

Mesa redonda aberta ao público trata aspectos socioeconômicos e culturais da gripe suína na população

Como a epidemia de influenza A (gripe suína) afeta diretamente a vida das pessoas? Quais os impactos acerca dos aspectos sociais e econômicos do nosso País?

Estes serão os principais aspectos dos quais irá tratar a mesa redonda “Consequências socioeconômicas e culturais da gripe suína”, que acontece na próxima quarta-feira, 17, às 11horas, na sala 150 da Faculdade de Medicina da UFMG (Av. Professor Alfredo Balena, 190 – Santa Efigênia).

O evento é gratuito e aberto ao público em geral.

Na ocasião, especialistas abordarão três assuntos: “Pandemias: lições históricas”, professor João Gabriel Marques Fonseca, “Estatura do atual surto de gripe suína”, professor Vandack Nobre, ambos do Departamento de Clínica Médica, e os “Impactos socioeconômicos e culturais da gripe suína”, professsor Délcio Fonseca, do Departamento de Medicina Preventiva e Social.

Diferencial

“A idéia dessa mesa redonda é mostrar como ela afeta direta e indiretamente a vida social, e debater as influências individuais dessa doença. Algumas pessoas, por exemplo, mesmo não tendo sintomas e nem contato com pacientes, têm medo de se contaminar e se isolam. Essa é a oportunidade para desmistificar, portanto, questões relacionadas à contaminação”, destaca João Gabriel, presidente da mesa.

Segundo o especialista, apesar de estarem sendo realizadas inúmeras conferências, debates, entrevistas, além da publicação de textos a respeito da epidemia, a maioria dessas iniciativas aborda os aspectos biológicos e epidemiológicos da doença. “Muito pouca coisa tem sido dita e discutida acerca das questões sociais e econômicas e, principalmente, sobre o impacto do noticiário da gripe sobre a vida pessoal” dos cidadãos.

Outro foco interessante deste encontro é fazer uma leitura do momento, “ou seja, avaliar dados numéricos atuais (número de casos etc) para identificarmos se isso pode se tornar uma pandemia e, ainda, discutir o que as outras epidemias anteriores nos ensinaram no que se refere ao cuidado de novas situações como essa”, reforça Fonseca.

A gripe espanhola, por exemplo, que aconteceu no século XX matou cerca de 40 milhões de pessoas no mundo todo. Já a gripe aviária, epidemia recente, causou a morte de cerca de 300 pessoas. “Acredito que nós, profissionais de saúde, já estejamos bem capacitados para enfrentar novas epidemias e, ao mesmo tempo, a população está mais aberta e comprometida no que se refere à prevenção”, analisa.

O evento faz parte do projeto Saúde & Cultura, do Campus Saúde da Universidade Federal de Minas Gerais, que é promovido pelas Assessorias de Comunicação da Escola de Enfermagem, Faculdade de Medicina e Hospital das Clínicas.

Serviço:Mesa redonda sobre a Gripe Suína
“CONSEQUÊNCIAS SOCIOECONÔMICAS E CULTURAIS DA GRIPE SUÍNA”
Data: 17/6/09
Horário: 11 horas
Local: Faculdade de Medicina da UFMG
Endereço: Av. Professor Alfredo Balena, 190. Sala 150. Santa Efigênia. BH. MG.

Leitura complementar: OMS declara pandemia de gripe suína (Agência Brasil – 11/06/09)
Link incluído em 12/06/09

Mais informações:
Assessoria de Comunicação da Faculdade de Medicina – (31) 3409 9651
Assessoria de Comunicação da Escola de Enfermagem – (31) 3409 9883
Assessoria de Comunicação do Hospital das Clínicas – (31) 3409 9354

    Contador de visitas: 238 visualizações

    Veja também: