Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


O exame de triagem neonatal, conhecido popularmente como Teste do Pezinho, começa, já em maio, a triar mais duas doenças, a Deficiência de Biotinidase e a Hiperplasia Adrenal Congênita (HAC), em bebês nascidos nos 853 municípios do estado. A portaria do Ministério da Saúde que habilita Minas Gerais para a realização dos testes foi publicada nessa quarta-feira, 8 de maio. No Estado, o laboratório responsável pela triagem é o Núcleo de Ações em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da UFMG (Nupad).

Ambas as doenças são hereditárias. Estima-se que a deficiência de biotinidase tenha incidência de um caso para cada 20 mil nascimentos. Trata-se de m distúrbio metabólico que pode levar a graves lesões neurológicas, de caráter irreversível. O tratamento é feito com o uso da vitamina biotina.

Já para a HAC essa relação é de um caso para cada 15 mil recém-nascidos. Ela produz alterações hormonais no organismo do recém-nascido, podendo virilizar a genitália feminina ou causar um grave distúrbio hidroeletrolítico, que pode levar ao óbito no período neonatal. O tratamento, coberto pelo SUS, consiste na reposição hormonal.

A coleta do sangue para o exame que identifica as doenças é feita nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e o diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento adequado do paciente logo nos primeiros dias de vida.

“As secretarias de saúde dos municípios receberão, pelo correio e por e-mail, as primeiras orientações sobre a inclusão das novas doenças na triagem”, explica o professor José Nelio Januario, diretor do Núcleo de Ações em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da UFMG (Nupad). O Serviço é resultado de parceria entre Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais.

Os resultados serão disponibilizados online para as secretarias, para todas as doenças triadas: hipotireoidismo congênito, fibrose cística, fenilcetonúria, doença falciforme, além das duas novas doenças incluídas. O Nupad também oferece um serviço de atendimento telefônico para tirar dúvidas dos profissionais relacionadas às doenças incluídas na triagem neonatal e pré-natal.

De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul também ampliarão os exames para a fase 4 do Programa Nacional de Triagem Neonatal, do Ministério da Saúde – a portaria que habilita esses estados foi publicada nessa quinta, 9 de maio.

 

 

    Contador de visitas: 357 visualizações

    Veja também: