Acesso interno

“Sou todo ouvidos!”: livro utiliza Saúde com Ciência para ensinar português*


06 de fevereiro de 2019


Programas de rádio Saúde com Ciência foram utilizados como material de apoio no ensino de português para profissionais estrangeiros do Mais Médicos

*Carol Prado

O livro “Sou todo ouvidos! Curso de compreensão oral em português como língua estrangeira para a área médica” foi lançado pelo Ministério da Saúde com o intuito de ser usado na capacitação de profissionais de saúde de outros países que vieram para o país atuar no Programa Mais Médicos. O programa de Rádio Saúde com Ciência, produção do Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG (CCS), foi utilizado como recurso de aprendizagem no livro didático. A publicação será disponibilizada online e de forma gratuita, no site no Ministério da Saúde, podendo ser empregada em cursos para outros profissionais da área da saúde que querem aprender português. (Confira a versão para professor e aluno)

Um dos idealizadores do livro, o professor da Faculdade de Letras da UFMG, Leandro Rodrigues Alves Diniz, afirma que o curso traz uma série de particularidades em relação a cursos mais gerais de português como língua estrangeira. “No caso do Mais Médicos, além de possibilitar maior avanço na proficiência para o trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS), reconhecer essas especificidades favoreceu a criação de oportunidades que, no limite, contribuíram para a ampliação dos conhecimentos específicos dos próprios alunos na área médica”, acredita.

Segundo Leandro, os programas do Saúde com Ciência permitiram aos médicos estrangeiros se familiarizarem com situações-problemas típicas do país, além de fomentar o debate. “Para dar apenas alguns exemplos, programas que tematizaram o aborto no Brasil, a violência contra a mulher e picada de escorpiões foram particularmente ricos, pois trouxeram muitas informações sobre a realidade brasileira que eram, até então, desconhecidas pela maior parte dos alunos”, alega.

Arte: CCS Medicina

Leandro conta que os estrangeiros aprovaram os programas de rádio como método de aprendizado da língua portuguesa. “Ao longo das aulas, os alunos, frequentemente, davam sinais de que gostavam bastante das unidades do livro: engajavam-se na compreensão do que era dito, na resolução das atividades propostas e nas discussões dos temas abordados nos programas”, enfatiza.

Além do professor Leandro, o material foi organizado pela professora Ana Cecília Cossi Bizon (Unicamp) e pela professora Simone da Costa Carvalho (UNILA) e as 24 unidades do livro foram elaboradas por diferentes professores de Português como Língua Estrangeira que ministraram cursos aos médicos cubanos. 

Edições anteriores ao “Sou todo a ouvidos!” foram utilizados nos Módulos de Acolhimento e Avaliação, que eram oferecidos aos médicos intercambistas. “O material foi posteriormente revisto e aprimorado a partir de nossas próprias percepções sobre seus pontos fortes e fracos, bem como das contribuições de docentes e alunos que participaram dos módulos”, revela o professor. A oficialização do livro, por meio da diagramação e ISBNs – International Standard Book Number, sistema internacional de identificação de livros e softwares – foi concluída em janeiro de 2019.

Para o coordenador do CCS, Gilberto Boaventura Carvalho, a utilização dos programas do Saúde Com Ciência para a formação dos profissionais do Mais Médicos, “vem fortalecer e incentivar ainda mais a equipe de produção do programa a buscar, cada vez mais, temáticas sobre saúde que auxiliem a população brasileira a terem acesso a informações que contribuem para a melhoria de sua qualidade de vida”.

O programa Mais Médicos

O “Mais Médicos para o Brasil” foi criado em 2013 com o objetivo de sanar a lacuna de profissionais em regiões carentes, através do SUS. As vagas foram inicialmente dedicadas a médicos formados no Brasil, em seguida, a brasileiros com diploma de outros países. As vagas remanescentes eram destinadas a estrangeiros, graduados fora do Brasil e com habilitação para exercício da Medicina no exterior. No primeiro ano do programa, a maior parte das vagas foi preenchida por profissionais cubanos, devido a um acordo do Governo Brasileiro com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Para exercer o ofício, os estrangeiros precisavam ser aprovados nos Módulos de Acolhimento e Avaliação (MAAV), ofertados em algumas cidades do Brasil e em Cuba. Os módulos contavam com dois eixos: Saúde, no qual os médicos estudavam conteúdos relevantes para sua atuação no SUS, e Língua Portuguesa, no qual se preparavam para interação, em português, em situações cotidianas, principalmente no que diz respeito à atenção básica.

Criando estratégias

Em 2013, Leandro assumiu a coordenação do eixo de Português como Língua Estrangeira do Programa Mais Médicos, em conjunto com os professores Fernanda Castelano Rodrigues (UFSCar), Wilson Alves-Bezerra (UFSCar) e Jorge Hernán Yerro (UFBA), que foram responsáveis pela primeira versão da apostila “Saúde!”.

“Diante de uma política pública inédita, que demandava uma política linguística igualmente inovadora, e da carência de materiais didáticos de língua portuguesa adequados para a preparação de médicos estrangeiros para a atuação no SUS, os colegas mencionados anteriormente, a professora Edleise Mendes (UFBA) e eu escrevemos, em 2013, a apostila ‘Saúde!’, utilizada nas primeiras edições do MAAV”, conta Leandro.

No ano seguinte, contando também com o trabalho da professora Ana Cecília Cossi Bizon (Unicamp) e do prof. Ivan Rodrigues Martin (UNIFESP), foi produzido o livro didático “Diga trinta e três… em português! Curso de Português como Língua Estrangeira para o Módulo de Acolhimento e Avaliação do projeto Mais Médicos para o Brasil”. Leandro conta que esse foi o principal material usado no curso de Língua Portuguesa das diferentes edições do MAAV, que aconteceram entre 2014 e 2018.

Sobre o programa de rádio

Arte: CCS Medicina

Saúde com Ciência é produzido pelo Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem parceria com a Rádio UFMG Educativa. Sua proposta é informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. Ouça na Rádio UFMG Educativa (104,5 FM) de segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h.

O programa também é veiculado em outras 146 emissoras de rádio, distribuídas por todas as macrorregiões de Minas Gerais e nos seguintes estados: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e Massachusetts, nos Estados Unidos. Também é possível ouvir o programa pelo serviço de streaming Spotify.

*Carol Prado – estagiária de Jornalismo

Edição: Maria Dulce Miranda

*Atualizada em 06/02/2019 às 14h57