Doença de chagas, uma das mais reconhecidas linhas de pesquisa da Faculdade de Medicina da UFMG, foi o tema central do texto.

A doença de chagas foi assunto de um texto científico escrito por uma professora da Faculdade de Medicina da UFMG para o jornal eletrônico da Sociedade Europeia de Cardiologia. Rose Mary Lisboa, do departamento de Clínica Médica, foi convidada pela organização para explicar a síncope em pacientes com cardiopatia chagásica.

Segundo a docente, tem havido uma “uma globalização da doença de Chagas” por causa de imigrantes. “Vários países não endêmicos necessitam compreender a abordagem destes pacientes”, justificou.

No texto, Rose Lisboa faz um panorama completo da doença de chagas: prevalência – cerca de 10 milhões de pessoas infectadas no mundo – a transmissão, manifestação, tratamento e a síncope – que é a perda repentina e breve da consciência; chamada, popularmente de desmaio.

Doença de Chagas na Medicina da UFMG

A doença de Chagas é causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi e transmitida por insetos: o barbeiro. A infecção pode progredir durante décadas, muitas vezes, sem sintomas. Não tem cura, mas pode ser controlada.

Na Faculdade de Medicina da UFMG, a doença de chagas é objeto de muitos estudos e anos de dedicação.  Há, por exemplo, uma linha de pesquisa sobre o assunto no Centro de Pós-Graduação e um curso à distância promovido pelo Centro de Tecnologia em Saúde da Faculdade de Medicina da UFMG (Cetes).

 

    Contador de visitas: 208 visualizações

    Veja também: