Durante visita técnica foram discutidas estratégias para implantação de software nos estados.

Imagem 1

Representantes do MS e Nupad em visita técnica realizada no anexo II do Núcleo. Foto: Rafaella Arruda

Representantes do Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN) do Ministério da Saúde estiveram no Nupad, nos dias 12 e 13 de abril, para discutir, entre outros assuntos, as estratégias de implantação do sistema de informação do Núcleo (Sisneo) em outros estados do país. O Sisneo, produto do PNTN elaborado em parceria com o Nupad, está em vigor desde 2014 e destina-se às ações de triagem neonatal, incluindo a integração dos dados laboratoriais e de monitoramento do cuidado.

Segundo a responsável pelo PNTN, Tânia Marini, desde o início do Programa, em 2001, os estados foram orientados a desenvolver ferramentas informatizadas para controlar a grande quantidade de dados da triagem neonatal. Alguns estados criaram os recursos, mas outros não tiveram essa possibilidade. A proposta é, portanto, disponibilizar a eles a implantação do Sisneo e a capacitação no sistema, ações que serão feitas em parceria com o Nupad. “Finalmente vai haver uma ferramenta para que possamos ter no Ministério da Saúde um dado de controle mais fiel. Porque é diferente você informar dados em um relatório anual e capturá-los dentro de um sistema. A qualidade da informação vai ser mais acurada e verdadeira”, afirma a biomédica.

Durante a visita ao Nupad, Tânia Marini e as consultoras técnicas do PNTN, Paula Zamaro e Ana Clécia Marchi, puderam passar por uma atualização sobre o funcionamento do Sisneo. “Viemos ver como o sistema está para programarmos a divulgação e disponibilização aos estados que quiserem aderir a ele”, explicou Tânia.

Sisneo

A partir do Sisneo, os dados laboratoriais e de monitoramento do cuidado da triagem neonatal são enviados para um módulo central do DATASUS – o departamento de informática do Sistema Único de Saúde (SUS), o que permite um controle completo por parte do PNTN.

Além de possibilitar uma integração total dessas informações, o coordenador do Setor de Informação e Informática do Nupad (Sein), Jeferson Gonçalves, cita outras vantagens do sistema: “Ele oferece flexibilidade para se adequar a diferentes fluxos de trabalho na triagem neonatal e interface com praticamente todos os equipamentos laboratoriais”.

Leia também: Nupad implanta novo software

    Contador de visitas: 263 visualizações

    Veja também: