Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


tpm_reproducao

Programa de rádio desta semana destaca questões relacionadas à tensão pré-menstrual e faz um alerta sobre a duração e intensidade de seus sinais.

Em um dia ela fica muito nervosa, no outro, mais emotiva. Em um momento ela se sente muito cansada, e em outro, tem ataques de fúria. Isso sem contar a hipersensibilidade, sonolência, mudança da libido e vários outros incômodos pelo corpo, que podem afetar todas as áreas de sua vida. Com tantos desconfortos, a tensão pré-menstrual não é lá uma grande amiga das mulheres, mas pelo menos já chega com os dias contados. Só que quando os sinais perduram, é hora de desconfiar que talvez nem tudo seja TPM.

O professor do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFMG, Antônio Cabral, explica que nem todas as mulheres apresentam os sinais da tensão da mesma maneira. “Tem mulher que apresenta a TPM próxima da menstruação, cerca de dois ou três dias antes. Já existem outras que começam a exibir sintomas desde o meio do ciclo”, afirma.

Apesar da grande maioria das mulheres em idade reprodutiva e com o ciclo menstrual regular apresentar sintomas pré-menstruais de intensidade leve, que não necessitam de intervenção médica ou psiquiátrica, há um quadro que atinge cerca de 3% a 11% desse público, que pode chegar a desequilibrar as vidas social, profissional e familiar durante uma a duas semanas de cada mês.

Segundo o professor Antônio Cabral, “quando a mulher exibe de forma muito acentuada todos os sintomas, deixamos de falar em tensão pré-menstrual e falamos de um quadro mais grave, psiquiátrico, a disforia pré-menstrual, uma associação dos sintomas físicos, emocionais e funcionais em um grau muito intenso e permanente”, explica o ginecologista.

Além disso, se o ciclo menstrual termina, mas os sinais permanecem, é hora de ficar alerta. Também professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia, Soraya Zhouri diz que quando esse quadro ocorre, o primeiro passo é consultar o ginecologista, já que existem quadros que podem ser confundidos com os sintomas da TPM, “principalmente os distúrbios neuropsicológicos, como as tensões e depressões, ou às vezes algum sintoma renal, em virtude do aumento de peso e da inchação, e distúrbios de tireoide, porque a paciente passa a ter uma sensação maior de calor”, ressalta.

Tema da semana

A série TPM aborda temas relacionados à tensão pré-menstrual, como os sintomas, seus efeitos na vida da mulher, seu combate, e o que fazer quando os sinais vão além do período menstrual. Confira a programação:

Desvendando a TPM – segunda-feira (12/08/2013)

Combate à tensão – terça-feira (13/08/2013)

Nem tudo é TPM – quarta-feira (14/08/2013)

TPM pelo corpo – quinta-feira (15/08/2013)

Alívio para a tensão – sexta-feira (16/08/2013)

Sobre o programa de rádio

O Saúde com Ciência é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. De segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h03, ouça o programa na rádio UFMG Educativa, 104,5 fm. Ele ainda é veiculado em 30 emissoras de rádio em Minas Gerais. Também é possível conferir as edições pelo site do Saúde com Ciência.

    Contador de visitas: 383 visualizações

    Veja também: