O “Seminário Violência contra a Mulher” está com inscrições abertas para interessados em participar de apresentações artísticas. Poemas, contos, músicas, instrumentos e encenações de esquetes teatrais sobre o tema fazem parte das opções para apresentações. O evento será realizado nos dias 5 e 6 de outubro, no Salão Nobre da Faculdade de Medicina da UFMG.

Os interessados devem se inscrever por meio do preenchimento de formulário online. As apresentações podem ser individuais ou em grupos, e ocorrerão no segundo dia de evento, a partir das 10h. Haverá certificação ao final da oficina.

Realizado pelos departamentos de Genecologia e Obstetrícia e Medicina Preventiva e Social da Faculdade, o evento tem como objetivo informar o profissional e estudantes de diversas áreas da saúde sobre como lidar e atender vítimas de violência sexual.

“A pessoa sofre a violência e quando chega no serviço de saúde acaba sendo revitimizada. Por exemplo, ela acaba um atendimento e passa para outro e tem que contar a história toda de novo, o que pode causa ainda mais dor”, comenta a professora Sara de Pinho Cunha Paiva, coordenadora do seminário.

De acordo com ela, não revitimizar as mulheres que sofreram violência sexual tem sido uma preocupação na área de saúde, que precisa ter uma equipe preparada para um atendimento humanizado.

“É muito importante que essas mulheres recebam orientações sobre os outros atendimentos, como o antedimento na delegacia das mulheres e no ministério público. E o primeiro atendimento, que geralmente é o feito nos hospitais, é a chave para isso. Se a mulher não é bem atendida, com carinho, sem julgamento, dificilmente ela irá dar continuidade ao tratamento”, observa.

Estresse pós-traumático

Durante o seminário, a professora irá falar sobre como é o serviço de atendimento às vítimas de violência sexual no Hospital das Clínicas (HC) da UFMG. “Vou falar sobre o trabalho pioneiro que realizamos, que é o de tentar ajudar as mulheres a não terem estresse pós traumático, usando técnica mindfulness e medicina antiestresse para realmente prevenir”. O acompanhamento realizado no hospital dura por, no mínimo, seis meses.

Uma equipe multiprofissional, composta por ginecologistas, fisioterapeutas, entre outros profissionais, também integram a programação do evento.

Lista de espera 

Devido à grande procura, as inscrições para o seminário já foram encerradas. É possível participar somente com apresentações culturais. No entanto, uma lista de espera será aberta para caso surjam vagas. O interessados podem acompanhar a lista por aqui.

 

    Contador de visitas: 461 visualizações

    Veja também: