Notícias Externas

Sangramentos internos podem ser sinais de alerta do organismo


Publicado em: ExternasRádio - 19 de março de 2018

Saúde com Ciência investiga as principais causas da presença de sangue na urina, nas fezes e na tosse

Warlen Valadares*

Tossir sangue ou descobrir a urina ou as fezes escuras ou avermelhadas são, em geral, sinais de alerta do organismo. Sangramentos internos podem ser causados tanto por doenças benignas quanto malignas. A presença de sangue nas fezes, por exemplo, pode indicar sangramento em qualquer parte do sistema digestivo: a úlcera no estômago e lesões no intestino delgado ou cólon direito podem tornar as fezes muito escuras, pastosas e mal cheirosas, quadro conhecido como melena.

Já o sangramento vermelho vivo é chamado de hematoquesia e pode estar associado a hemorroidas, fissura anal, inflamação do intestino ou lesões no colón esquerdo e no reto, regiões mais próximas ao ânus. Em alguns casos, o volume do sangramento é pequeno e invisível a olho nu, sendo detectado somente por meio do teste de sangue oculto nas fezes. Esse teste é utilizado para rastrear o câncer colorretal em pacientes assintomáticos e deve ser feito anualmente, a partir dos 50 anos de idade.

Caso o resultado do teste de sangue oculto dê positivo, o coloprotologista e professor da Faculdade de Medicina da UFMG, Rodrigo Gomes, recomenda que seja feito o exame de colonoscopia, que permite ao médico visualizar a parede intestinal. Durante esse procedimento, é possível identificar e retirar pequenas lesões, semelhantes a verrugas, conhecidas como pólipos. Em geral, os pólipos são benignos, mas podem evoluir para câncer.

Cólicas, dor anal, emagrecimento, sangue visível nas fezes, com ou sem muco, são alguns dos sintomas do câncer colorretal, mas, em geral, eles aparecem somente no estágio mais avançado da doença. Por isso, Gomes reforça a importância do diagnóstico precoce, lembrando que esperar o surgimento dos sintomas pode agravar o prognóstico do paciente. Manter uma dieta rica em fibras, praticar atividades físicas regularmente, evitar o tabagismo e o consumo excessivo de carnes vermelhas e bebidas alcoólicas são medidas importantes para prevenir o câncer colorretal.

Foto: Carol Morena

Hemoptise

A hemoptise, também conhecida como tosse com sangue, é um sinal comum a diversas doenças do sistema respiratório. A expectoração de sangue ainda é um quadro muito associado à tuberculose, doença bacteriana contagiosa que acomete os pulmões e pode provocar, além da hemoptise, febre, falta de ar, sudorese noturna e dores no peito, dentre outros sintomas.

Porém, a pneumologista e professora da Faculdade de Medicina, Valéria Maria Augusto, aponta que tossir sangue puro ou com escarro é, na verdade, uma manifestação relativamente tardia da tuberculose. “Atualmente, é comum a gente fazer o diagnóstico de tuberculose muito antes de surgir a hemoptise, porque existe uma recomendação clássica do Ministério da Saúde: tossiu com catarro por três semanas seguidas, o médico pede uma baciloscopia de escarro”, afirma. Hoje, segundo a professora, somente 25% dos pacientes diagnosticados com a doença apresentam hemoptise.

O tratamento da tuberculose dura, em média, seis meses. Para ser bem sucedido, o indivíduo não deve suspender o uso dos remédios sem autorização médica. Valéria Augusto ainda salienta a importância do aconselhamento do profissional da saúde durante e após o tratamento da tuberculose, já que as cicatrizes da doença também podem causar hemoptise, sinal que causa impacto à maioria dos pacientes.

Hematúria

A presença de sangue na urina, quadro conhecido clinicamente como hematúria, pode ser macroscópica, quando a urina apresenta uma coloração alaranjada ou avermelhada, ou microscópica, quando só é possível detectá-la por meio de exame laboratorial. Homens e mulheres de qualquer idade podem apresentar o quadro.

“A hematúria, por si só, não é uma doença. Ela é a manifestação de algum problema subjacente”, esclarece o urologista e professor da Faculdade de Medicina da UFMG, Daniel Xavier. De acordo com o professor, a maioria das doenças do sistema urinário pode causar sangramentos, dentre elas a infecção urinária, cálculos renais e até tumores nos rins, ureteres e bexiga.

Indivíduos com mais de 50 anos que têm ou tiveram o habito de fumar estão mais propensos a desenvolverem tumores do trato urinário, sendo o mais comum o câncer de bexiga. Xavier enfatiza que essas pessoas devem fazer uma avaliação médica regular, principalmente se apresentarem hematúria visível e indolor. Em qualquer situação, caso haja suspeita de sangue na urina, é recomendável procurar um médico. Por fim, ele pondera que alguns alimentos que contêm corantes, como a beterraba, e medicamentos podem alterar a coloração da urina.

Sobre o programa de rádio

Saúde com Ciência é produzido pelo Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. Ouça na Rádio UFMG Educativa (104,5 FM) de segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h.

O programa também é veiculado em outras 187 emissoras de rádio, distribuídas por todas as macrorregiões de Minas Gerais e nos seguintes estados: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e Massachusetts, nos Estados Unidos.

*Redação: Warlen Valadares – estagiário de Jornalismo

Edição: Lucas Rodrigues

Leia também:

Dez anos de informações a serviço da qualidade de vida

Programa ‘Saúde com Ciência’ completa dez anos no ar

    Contador de visitas: 528 visualizações

    Veja também: