Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Evento apresentará resultados de pesquisas que relacionam alterações no relógio biológico e o aparecimento de doenças metabólicas

Maristela de Oliveira Poletini apresentará pesquisas do Laboratório de Endocrinologia e Metabolismo do ICB. Foto: Foca Lisboa / UFMG

A importância do horário da alimentação para o relógio hepático será tema da palestra promovida pelo Liver Center UFMG, no dia 25, quarta-feira, às 9h30, no Instituto Alfa de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da UFMG. A convidada para falar sobre o assunto é a professora do Departamento de Fisiologia e Biofísica da UFMG, Maristela de Oliveira Polentini. A palestra gratuita é aberta a todos os profissionais e graduandos da área da saúde interessados no tema.

No evento, serão apresentadas as relações conhecidas pela ciência entre a alimentação e o fígado, que pode sofrer alterações em sua fisiologia devido a variações no horário de alimentação. Também serão mostrados resultados recentes de pesquisas realizadas no Laboratório de Endocrinologia e Metabolismo, coordenado por Poletini, que buscam entender quais são os mecanismos que estão por trás das respostas que o fígado dá a essas variações no horário de nossas refeições.

Maristela Poletini explica que, hoje, os horários de alimentação estão atrelados a hábitos modernos que, muitas vezes, estão em descompasso com o funcionamento do nosso relógio biológico. Esse relógio é controlado pelo ciclo circadiano, que é responsável pela incidência de fenômenos biológicos como o sono e a fome por volta dos mesmos horários do dia.

“Está muito claro que conseguir fazer com que o seu período de atividades seja o seu momento de se alimentar, é fundamental” a professora explica, chamando a atenção para a importância de ajustar a alimentação ao funcionamento interno do organismo. Isso porque hábitos desajustados ao nosso tempo biológico, como fazer refeições durante a madrugada, geram atritos que podem explicar o início de doenças metabólicas como diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial, obesidade e alterações de humor. Esse desajuste também pode predispor o indivíduo ao câncer. Todas essas relações serão apresentadas na palestra.

Liver Center
O centro de estudos do fígado, Liver Center UFMG, foi idealizado em maio deste ano, em parceria com pesquisadores da Universidade de Yale (EUA). Entre as atividades desenvolvidas pelo Liver Center está o ciclo de palestras mensais em hospitais públicos e privados com atendimento na área hepática e em centros de pesquisa. Ao longo do ano, hospitais como o Felício Rocho, a Santa Casa e o Hospital das clínicas da UFMG receberam palestras sobre pesquisa básica e o ICB recebeu palestras ministradas por médicos sobre estudos clínicos.

Redação: com Cedecom/UFMG e Assessoria de Comunicação Social e Divulgação Científica do ICB

    Contador de visitas: 197 visualizações

    Veja também: