Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

Queda de cabelo além da calvície


Publicado em: ExternasRádio - 2 de Abril de 2016

Nova série do Saúde com Ciência destaca os principais problemas relacionados à queda de cabelo e cuidados para manter o bom aspecto dos fios capilares

ImpressãoEstima-se que um ser humano tenha entre 90 e 150 mil fios de cabelo no couro cabelo, sendo que cerca de cem desses fios caem diariamente. Essa quantidade, pouco variável, quando muito elevada pode indicar algum problema de saúde, como estresse, anemia ou um distúrbio hormonal.

“O cabelo reflete muito, principalmente, se a pessoa tem uma carência na alimentação”, afirma o dermatologista e professor da Faculdade de Medicina da UFMG, Claudemir Aguilar. A falta de nutrientes e vitaminas podem resultar no enfraquecimento dos fios e possíveis distúrbios de queda de cabelo.

Além disso, existem doenças próprias do couro cabeludo, casos da alopecia androgenética, popularmente conhecida como calvície, e da alopecia areata. Segundo a Associação Internacional de Cirurgia de Restauração Capilar, os diversos tipos de alopecia atingem 40% dos homens antes dos 35 anos. No caso das mulheres brasileiras, cerca de 25% são acometidas.

A calvície é causada por um distúrbio genético e não tem cura – aproximadamente 80% dos homens manifestam a condição após os 80 anos. Apesar disso, hoje existem diversos tratamentos para melhora da condição, que ocorre na parte superior frontal do couro cabeludo. “Existem formas na mulher por distúrbio hormonal ou por uma produção hormonal alterada, produzindo andrógenos em excesso”, acrescenta Claudemir Aguilar. Nesses casos, a queda acontece de forma mais difusa pelo couro cabeludo e, para o tratamento, é necessário investigar a origem dessas disfunções.

Sobre a alopecia areata, Aguilar destaca que a doença é autoimune e atinge áreas arredondadas do couro cabeludo. A extensão da perda de cabelo varia, sendo raros os casos em que o paciente perde todos os fios capilares.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Cuidados noturnos

Evitar exposições excessivas ao sol e lavar os cabelos, no mínimo, em dias alternados, são atitudes que contribuem para manter os fios capilares saudáveis. Além disso, é importante não dormir com os cabelos molhados. “Deitar com o cabelo molhado rompe algumas estruturas do fio capilar, deixando-o mais frágil e com mais risco de quebrar”, explica Ana Cláudia de Brito, que é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Nessas situações, usar o secador é uma opção. O ideal é usá-lo a uma distância de, pelo menos, 20 centímetros dos fios de cabelo, movimentando-os a fim de evitar queimaduras. Como cada pessoa tem um tipo de cabelo, vale verificar cuidados mais específicos com o dermatologista. E, claro, vale a devida atenção aos sinais que os fios dão sobre a saúde do corpo.

Sobre o programa de rádio

Saúde com Ciência apresenta a série “Cabelos: Saúde & Estética” entre os dias 4 de 8 de abril. O programa, produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG, tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. Ouça na Rádio UFMG Educativa (104,5 FM) de segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h.

Ele também é veiculado em outras 175 emissoras de rádio, distribuídas em todas as macrorregiões de Minas Gerais e nos seguintes estados: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e Massachusetts, nos Estados Unidos.

    Contador de visitas: 883 visualizações

    Veja também: