Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

Psiquiatra italiano apresenta conferência sobre saúde mental na Faculdade


Publicado em: AgendaExternas - 31 de outubro de 2017

Foto: Raíssa César / UFMG

Convidado do programa Cátedras Fundep/IEAT, o psiquiatra italiano Ernesto Venturini estará na Faculdade de Medicina da UFMG na quinta-feira, 9 de novembro, para a “II Conferência: A saúde mental em tempos de cólera: primeiramente…”.

O encontro, gratuito e com entrada aberta à comunidade, será no Salão Nobre da Unidade, a partir das 18h, e não necessita inscrição prévia. Importante nome da luta antimanicomial no mundo, o psiquiatra da Università degli Studi dela Repubblica di San Marino vai abordar o tema da saúde mental sob perspectiva multidisciplinar.

Colaborador de Franco Basaglia no movimento Psiquiatria Democrática Italiana, que lutou pelo fechamento progressivo dos manicômios na Itália e pela reformulação da assistência em saúde mental, Ernesto Venturini contribuiu ativamente para o êxito da lei da reforma psiquiátrica na Itália.

A “II Conferência: A saúde mental em tempos de cólera: primeiramente…” é uma parceria da Faculdade de Medicina da UFMG com a Fundep, o IEAT – UFMG, a Università della Repubblica di San Manino e o Departamento de Psicologia, por meio do Laboratorio de Direitos Humanos e Transdisciplinaridade (LADHT). A primeira edição do evento foi realizada no campus Pampulha da Universidade, em outubro.

Sinopse (do autor)
 A “cólera”, metaforicamente, indica uma espécie de epidemia que se caracteriza por uma condição de apreensão, de insegurança, de uma dramática fragilização de direitos e de convivência social, que pareciam inequivocamente conquistados. Estamos em um cenário de tipo produtivista, que forja os sujeitos em uma matriz competitiva e hiper-egoica, com todas as suas consequências (produção de novas sintomatologias, depressão, ansiedade, erosão dos laços de solidariedade, cinismo, novas segregações). É uma grande crise (mundial) de valores éticos, que se traduz em uma espécie de pessimismo generalizado, de falta de confiança nas possibilidades de reinvenção e mudança. Problematizaremos os enclausuramentos, as ideologias, a burocratização, a fragilização das instituições e de cada um de nós, procurando sustentar que, segundo nos parece, existem áreas de resistência frente à dimensão fagocitária do mercado e da sociedade produtivista, apontando para uma pedagogia de luta pela vida, que se delineia através de nossa responsabilização e flexibilização.

Ernesto Venturini
O catedrático é um intelectual italiano, médico, pesquisador, gestor público e ativista da Psiquiatria Democrática italiana, notabilizado em função de sua colaboração com a construção da Reforma Psiquiátrica e da luta antimanicomial. Ele participa e acompanha a construção da política de saúde mental brasileira, europeia e africana, operando com uma perspectiva transdisciplinar. Atualmente,  Venturini representa a Fundação Franca e Franco Basaglia (Veneza) e a Universidade de Estudos da República de San Marino e está desenvolvendo uma pauta de discussões, onde se situa o tema da saúde mental na universidade e, dentre outras diversas publicações, destaca-se, o livro “A linha curva – o espaço e o tempo da desinstitucionalização” (FIOCRUZ/ENSP, 2016).

Leia a entrevista com o professor:
‘As pessoas não tentam mais resolver suas frustrações’, afirma Ernesto Venturini
Mais informações: IEAT – info@ieat.ufmg.br

Redação: com informações do IEAT

    Contador de visitas: 1.639 visualizações

    Veja também: