Vacina: proteção para viajantes


Publicado em: Notícias - 12 de janeiro de 2011

reprodução

No checklist dos viajantes– aquela lista com atividades que deverão ser executadas – um item é indispensável: verificar se para o país, estado ou cidade de destino existe recomendação de algum tipo de vacina.

Na medicina, é quase consenso de que as vacinas estão entre as medidas preventivas de saúde mais importantes disponíveis para a população. No entanto, não há necessidade de que elas sejam universais, isto é, aplicadas indiscriminadamente em todas as regiões. “Existem vacinas que as pessoas devem tomar se irão se mover para uma área endêmica ou onde circula determinada doença”, orienta Jorge Andrade Pinto, imunologista pediátrico e professor do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG.

Um exemplo típico, segundo o professor, é a febre amarela. “Em Minas Gerais, ela tem sido utilizada por causa dos casos de febre amarela silvestre”, afirmou. Também houve registro de casos da doença nos últimos anos no Mato Grosso, São Paulo e Roraima. A vacina contra a febre amarela só passa a ter efeito depois de 10 dias de aplicação. Além disso, a dose deve ser reaplicada a cada 10 anos.

Jorge Andrade Pinto aconselha os viajantes a buscar informações em sites de órgãos públicos de saúde, como do Ministério de Saúde, e agências sanitárias. “A pessoa que vai viajar deve ser informar sobre indicação de vacinas especiais para determinadas regiões”, contou. A maioria delas é gratuita, como a da febre amarela ou o reforço da Tríplice Viral, contra sarampo, caxumba e rubéola.

Vacinação para grupos especiais

Alguns grupos de pessoas precisam de um cuidado especial na hora de se vacinar. É o caso dos imunossuprimidos e pacientes com doenças crônicas, que devem procurar os Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), disponíveis em várias cidades-polo do país. “Esses centros oferecem vacinas que estão disponíveis rotineiramente no calendário oficial da imunização do país. As doses também são gratuitas e voltadas para pacientes que preenchem critérios específicos para imunização”, explicou o professor Jorge Andrade Pinto.

Os endereços dos Cries estão disponíveis no site do Ministério da Saúde. Para outras informações e dúvidas sobre vacinação, o telefone é o 0800 61 1997. A ligação é gratuita.

    Contador de visitas: 299 visualizações

    Veja também: