Notícias Externas

Proposta de estudante busca integrar conhecimentos na graduação


Publicado em: ExternasPessoas - 20 de junho de 2017

Renan Nabak: “Não devemos odiar os livros, mas amar mais as pessoas”. Foto: Arquivo pessoal.

Com o objetivo de aliar o conhecimento teórico e a prática no ensino da Medicina, Renan Nabak, aluno do 5º período do curso, pretende participar de maratona na Finlândia para, em trabalho conjunto com estudantes de outras áreas, desenvolver instrumento que permita ao estudante correlacionar de forma prática e facilitada os conteúdos aprendidos durante a graduação.

Renan aposta na construção de uma plataforma para facilitar a comunicação entre professores do ciclo básico (1º ao 4º período) e do ciclo clínico (5º ao 8º período) de forma organizada, que ajude a evidenciar essa relação entre as disciplinas. “No ciclo básico as matérias são fragmentadas, é difícil para nós, alunos, estabelecermos essa conexão”, explica o estudante. Para ele, é necessário facilitar esse aprendizado. “Perdemos tempo tentando fazer, sozinhos, essa correlação, porque as matérias fragmentadas ficam muito menos interessantes”, conta Renan.

O sistema facilitaria, ainda, uma visão mais ampla e completa do conteúdo durante o curso, pelos estudantes. “Há matérias que são dividas em sistemas de órgãos, mas cada professor ordena de uma forma. Quando estamos vendo cardiovascular em Anatomia Patológica, por exemplo, em Pediatria ou Imagem estamos vendo outro sistema, como o respiratório”, ilustra o estudante. Para Renan, o um bom ensino de Medicina é fundamental para a formação de bons médicos.

Humanização da teoria e prática
Renan Nabak conta ainda que percebe, agora no ciclo clínico, que quanto mais preocupação e atenção os alunos dedicam aos pacientes mais a teoria se torna interessantes e fácil de compreender, e vice-versa.

“Quando recebemos pacientes em estágios de clínica médica, pediatria, psiquiatria e outros, vemos aquele paciente em carne e osso na nossa frente e conseguimos ter empatia pela sua história” relata. “Aí então a Fisiopatologia, Farmacologia e Anatomia se tornam muito mais do que ‘decorebas’ para provas, e sentimos a importância de aprofundar na teoria para dar o melhor cuidado possível para o paciente”, completa o estudante.

Para Renan, a motivação se resume em uma frase: “Não devemos odiar os livros, mas amar mais as pessoas. Essa ideia parece clichê, mas é muito prática. É isso que pode inspirar futuros médicos”, acredita.

Elsevier Hacks
A “maratona hacker” é um evento tradicional na área de tecnologia e Medicina, promovida pela editora de livros de saúde, Elsevier.

O evento reúne estudantes de todo o mundo das áreas de Medicina, design e programação para, em 48 horas, desenvolverem soluções para os desafios da educação médica.

Este ano, o encontro será de 25 a 27 de agosto em Helsinki, na Finlândia.

Escolha por votação
Depois de passar por uma primeira fase com 1.588 candidatos, uma segunda com quase 500, Renan Nabak está classificado para a fase final, de voto popular. Ele e outros 94 estudantes de medicina de diversos países disputam 16 vagas para ir à Finlândia. No Brasil, são 11 candidatos. A votação está aberta até o dia 22 de junho, quinta-feira.

Vote na proposta de Renan.

Acesse a página da Elsevier Hacks.

 

 

    Contador de visitas: 6.380 visualizações

    Veja também: