Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Entrevistada para o Projeto Pesquisadores, professora conta como a tecnologia se destaca em sua vida, tanto no desenvolvimento de pesquisas como na prática médica

Zilma Reis apresenta sua trajetória para o Projeto Pesquisadores. Foto: Carol Morena

Perfil deste mês do Projeto Pesquisadores, a professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFMG, Zilma Silveira Nogueira Reis, enfatiza que ter os estudos iniciais na área de ciências exatas teve influência na sua formação médica. Formada em Edificações no ensino técnico e carregando o aprendizado de semestres do curso de Engenharia Civil, ela não desistiu das estatísticas, aplicando-as em pesquisas e criações para solução de problemas de saúde enquanto ginecologista.

“O que me motiva é pensar na medicina do futuro, em não me contentar só com o que eu faço agora, mas em como pode ser melhor o próprio atendimento clínico, por exemplo, daqui cinco ou dez anos”, declara Zilma. Foi com esse raciocínio que desenvolveu o seu principal projeto: Light Scan Skinage. Ele inclui o aplicativo Meu Pré-natal, que orienta sobre as principais questões de acordo com o período da gravidez, e o dispositivo Preemie-Test, usado para detecção da idade gestacional de recém-nascidos.

A própria experiência de duas gestações contribui na satisfação pela sua área de atuação. “Sempre gostei muito mais do nascer e dessa notícia boa que é a vida nova. A obstetrícia tem esse privilégio de trabalhar mais com o processo natural e não com a doença”, afirma. “É claro que nem sempre isso ocorre bem e temos que estar preparados para solucionar esses problemas. Mas dar luz a uma nova vida é um processo fisiológico e natural”, continua.

Quando questionada sobre sua atuação em meios comumente masculinos, como a engenharia e desenvolvimento de tecnologias, Zilma destaca que nunca se sentiu diminuída ou intimidada por ser mulher. “Eu vim de uma família onde a mulher tem um papel muito forte. A minha mãe foi uma grande educadora. Vinda de uma cidade no interior, ela sempre dizia que teve o privilégio de estudar e ter dois cursos superiores”, pontua.

A professora acrescenta que os desafios do cotidiano e da saúde são o que a faz querer inovar, com coragem, dedicação e ética para desenvolver ideias práticas e bem fundamentadas. Além disso, nesta entrevista, ela comenta o currículo atual do curso de Medicina e fake news relacionadas à saúde.

Saiba mais sobre Zilma Reis e os professores apresentados em outras edições do Projeto em www.medicina.ufmg.br/projetopesquisadores.

 O Projeto Pesquisadores

Com o objetivo de valorizar a produção científica da Faculdade de Medicina da UFMG, o Centro de Pesquisa (CPq) e o Centro de Comunicação Social (CCS) produzem o “Projeto Pesquisadores”.

O projeto traz a cada mês, por meio de áudio e texto, a história de vida e o percurso na ciência de um pesquisador reconhecido pelos seus pares na UFMG, no Brasil e no exterior, com participação nos programas de pós-graduação da Faculdade de Medicina da UFMG.

    Contador de visitas: 1.644 visualizações

    Veja também: