Foto: Bruna Carvalho

O impacto do diagnóstico do câncer pode ser tão forte quanto a própria doença, especialmente quando se trata de crianças. Para lidar com essa dificuldade, a equipe do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, em parceria com o Hospital das Clínicas da Universidade (HC), lançou nessa quarta-feira, 5, a cartilha “Orientação para Cuidados de Crianças com Câncer.

O lançamento, no HC, contou com a participação de crianças em tratamento, outras que já se recuperaram e seus familiares. As cartilhas foram distribuídas com recomendações aos pais de ler com atenção e recorrer ao material sempre que necessário. Em seguida, os pacientes foram presenteados com kit composto por lápis de cor e caderno.

A pediatra do Serviço de Hematologia e Oncologia do Hospital das Clínicas, Andréia Conceição Brito, conta que, como forma de agradecimento, os pequenos têm o costume de dar desenhos de presente. “Percebo que as crianças ficam muito felizes quando desenham, elas podem expressar seus sentimentos”. Por esse motivo, foi possível ilustrar a cartilha somente com os desenhos das crianças que passaram por tratamentos no hospital. “Guardei todos desde que comecei a trabalhar aqui”, diz a pediatra.


Irlandes e a filha Emanuelle. Foto: Bruna Carvalho

Emanuelle Souza, 11, foi uma das crianças que contribuiu para a ilustração da cartilha. Para a menina, a satisfação em poder ajudar os pacientes que passam por situação semelhante à vivenciada por ela é única. “As cartilhas são uma forma de ajudar e fiquei feliz em participar disso”, conta. Para a Irlandes de Souza, mãe de Emanuelle, a realização do material mostra que as famílias não estão sozinhas no combate à doença. “Nunca devemos perder a fé, pois tudo é possível se pudermos contar com pessoas dispostas”, ressalta.

Informações

“Orientação para Cuidados de Crianças com Câncer” aborda temas importantes para ajudar no dia a dia de cuidados, como administração correta de medicamentos e vacinas; higiene corporal; acompanhamento odontológico; cuidados com a alimentação e na realização das atividades diárias, além das situações em que se deve procurar o serviço de emergência.

A cartilha surgiu da necessidade de reunir informações distribuídas na internet ou por meio de receituários médicos, a fim de uniformizar as condutas. “Muitas mães manifestavam o desejo de que houvesse um material com temas sobre a doença, principalmente sobre esses cuidados em casa”, explica Andréia.

Tratamento

Todos os anos, cerca de 9 mil casos de câncer infantil são detectados no País, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Entretanto, o diagnóstico da doença não deve ser encarado como uma sentença de morte. Estima-se que em torno de 70% das crianças acometidas pelo câncer possam ser curadas, se diagnosticadas precocemente e tratadas em centros especializados.

O filho de Vanessa Santana recuperou-se do câncer há cinco anos.

O seguimento rigoroso do tratamento é muito importante para que sejam obtidos bons resultados. Além disso, a qualidade de vida dos pacientes depende do suporte e dedicação por parte da equipe médica e da família. De acordo com a professora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, Benigna Maria de Oliveira, as crianças acometidas por esse tipo de doença passam por mudanças, como a queda dos cabelos, e precisam alterar a rotina. “Por isso, é importante compreender bem o câncer. E o material auxiliará nisso”, diz.

Para Vanessa Santana, mãe de Marcos Almides, 13, já recuperado do câncer há cinco anos, a cartilha ajudará as famílias a lidarem melhor com à doença. “Ter essas informações em mãos tranquiliza as mães que, naturalmente, apresentam muitas dúvidas em relação aos cuidados com os filhos”, conclui.

 

 

    Contador de visitas: 359 visualizações

    Veja também: