Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Osteoporose deve ser prevenida desde a infância


Publicado em: Notícias - 17 de outubro de 2012

O projeto Quarta da Saúde é mensal, gratuito e aberto ao público.

Alimentação saudável, menos refrigerante, mais sol e atividades físicas para as crianças podem ajudar a prevenir a osteoporose na idade adulta. A dica é da professora do departamento do Aparelho Locomotor da Faculdade de Medicina da UFMG, Adriana Kakehasi, convidada da edição de outubro do projeto Quarta da Saúde.

A osteoporose, que acomete hoje cerca de 10 milhões de brasileiros, é caracterizada pela diminuição da quantidade e qualidade de ossos no corpo, que ficam, portanto, mais fracos sujeitos a fraturas.  De acordo com Adriana, em casos muito avançados da doença as fraturas de ossos podem acontecer mesmo sem quedas. “Algumas vezes impactos fortes como espirros podem levar a fraturas. É melhor não chegar nesse ponto e, por isso, é importante prevenir desde cedo”, alerta a reumatologista.

A professora explica que é importante agir na infância para evitar os prejuízos mais tarde, adotando hábitos de prevenção. Na idade adulta, porém, ela alerta que os cuidados não podem ser deixados de lado. “O ser humano atinge o pico de massa óssea dos 30 aos 40 anos de idade. Nessa fase a vigilância deve ser dobrada para reduzir ao máximo a perda”, justifica.

A osteoporose é resultado de um desequilíbrio nas células dos ossos. “Isso acontece quando a célula que forma os ossos [osteoblasto] trabalha menos, ou quando a célula que ‘rói’ os ossos [osteoclasto] trabalha mais”, explica. Ela esclarece ainda que as mulheres mais velhas apresentam mais a doença pois a perda dos hormônios leva a esse desequilíbrio. “As mulheres também têm, geralmente, menos músculos e massa óssea que os homens, que as tornam mais propícias a desenvolver a osteoporose”, afirma.

Prevenção
“Vamos tomar um pouco de sol”. A fala da professora reforça a importância da luz solar, essencial para a produção de vitamina D no corpo humano, no combate à doença. Ela recomenda uma exposição de 15 minutos, três vezes por semana. “Passar protetor solar no rosto e ir cuidar do jardim, ou fazer uma caminhada rápida já é o suficiente”, sugere.

Outro ponto fundamental de prevenção é o cuidado com a alimentação. A dieta deve ser rica em cálcio, presente em leites e derivados, e em folhas verdes escuras, como couve, brócolis e espinafre. Já o sal, que a professora chama de “grande vilão”, deve ser evitado. “A quantidade de ingestão diária indicada é 6g. O brasileiro consome cerca de 18g de sódio por dia. O sal impede a absorção de cálcio”, alerta a professora.

O tabagismo e excesso de ingestão de café e álcool devem ser evitados, bem como o sedentarismo. Para isso, atividades físicas são indicadas: “Musculação, corrida, caminhadas, dança, pilates e outros que trabalhem o equilíbrio são os mais recomendados”, enumera Adriana.

Alerta
A reumatologista chama atenção para o fato que o risco de um adulto sofrer uma fratura no quadril, que é a mais grave resultante da osteoporose, é maior do que desenvolver câncer de mama. Além disso, um adulto que já teve alguma fratura tem o risco de 50 % a 100% de sofrer nova fratura. Por isso, é importante ficar atento aos sinais da osteoporose.

Além dos hábitos citados, a professora destaca alguns sinais que devem ser vigiados: a menopausa precoce, a presença de outras doenças crônicas, o uso de alguns medicamentos como corticóides e anticonvulsionantes, o histórico familiar de fraturas e a notável perda de altura devem ser apresentados e discutidos com o médico. “A partir dos 65 anos também é importante a realização da densitometria óssea, exame que vai diagnosticar a osteoporose ou uma fase anterior à doença, chamada osteopenia. A partir do diagnóstico, o médico vai indicar as orientações mais adequadas a cada paciente”, conclui a reumatologista.

Quarta da Saúde
O projeto “Quarta da Saúde” é realizado sempre na terceira quarta-feira do mês. A proposta é abordar temas sobre saúde de forma ampla e com linguagem acessível ao público em geral. A iniciativa é do Centro de Extensão (Cenex-MED) e da Assessoria de Comunicação Social (ACS) da Faculdade de Medicina da UFMG. A próxima palestra, “Doenças de pele: o que devo saber”, será apresentada pelo dermatologista Claudemir Aguilar, do departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, no dia 21 de novembro, às 12h30, na sala 150 da Faculdade.

Mais informações: ACS – 3409 9651

    Contador de visitas: 316 visualizações

    Veja também: