Neurologia ganha seu primeiro Tratado no Brasil


Publicado em: Notícias - 7 de junho de 2013

O primeiro tratado brasileiro de Neurologia será lançado no dia 27 de junho, no IX Congresso Paulista da especialidade. Publicação oficial da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), a obra foi escrita por renomados especialistas nacionais, dentre eles os professores titulares do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, Francisco Cardoso e Paulo Caramelli.

O livro é adaptado à realidade brasileira e aborda mais profundamente doenças como as infecciosas do sistema nervoso e as patologias cerebrais com maior incidência no Brasil e na América Latina. Segundo o professor Paulo Caramelli, não existia uma obra referência no país sobre neurologia com dimensão tão ampla quanto essa. “O livro foi trabalhado por mais ou menos três anos e será referência para os neurologistas e especialistas em atividades em todo o Brasil”, avalia.

Cada capítulo da obra é escrito por um especialista brasileiro de uma subárea da Neurologia e conta com a colaboração de médicos, pesquisadores e professores de renomadas instituições universitárias e de saúde do Brasil.

Com experiência em Neurologia Cognitiva e do Comportamento e na Neuropsiquiatria Geriátrica, o professor Caramelli participou do Tratado com a redação do capítulo sobre doença de Alzheimer, que apresenta explicações sobre a epidemiologia, fisiopatologia e o quadro clínico da doença. “A área passou por mudanças muito grandes em relação à compreensão da doença de Alzheimer. Por isso, foi oportuno incluir no livro essa que é a principal causa de demência em idosos ”, diz o especialista.

Já o professor Francisco Cardoso abordou em quatro capítulos alguns dos chamados movimentos anormais. “Escrevi sobre síndrome de Meige, discinesias iatrogênicas, discinesia oromandibular e cãibra do escrivão”, conta.

A troca de informações é uma das bases do Tratado, que pretende, além de transformar os saberes de várias partes do mundo, estimular neurologistas e neurocientistas a estarem constantemente atentos aos avanços tecnológicos. “Atual e abrangente, o livro é importante, principalmente, por conter profissionais de diferentes partes do país”, ressalta Paulo Caramelli.

Com um total de 896 páginas, a obra foi editada por Joaquim Pereira Brasil Neto, Diretor Científico da ABN, e Osvaldo M. Takayanagui, professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP. O Tratado é voltado para residentes e profissionais recém-formados que buscam obter o título de especialista na área.

 

 

    Contador de visitas: 243 visualizações

    Veja também: