Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


A idéia é formar gestores para elaboração de políticas de saúde para trabalhadores da saúde

Uma iniciativa pioneira na América Latina pretende formar profissionais capazes de elaborar políticas públicas de proteção à saúde dos trabalhadores ligados ao setor saúde. A formação, lançada hoje, é fruto de uma parceria entre o Nescon, a Organização Panamericana de Saúde (Opas) e os ministérios da saúde dos países latino-americanos e caribenhos.

A solenidade aconteceu em Washington (EUA), e contou com a presença do coordenador licenciado do Nescon, professor Francisco Campos, entre outras autoridades ligadas a Opas e Organização Mundial de Saúde (OMS). As nações em que a formação será ofertada (Argentina, Brasil, Equador, México e Uruguai) acompanharam o evento por meio de teleconferência.

O curso
Ministrado a distância, o curso é direcionado a gestores vinculados aos ministérios da saúde dos países ligados a Opas.

“Essa é uma iniciativa muito importante considerando principalmente que, em todo o mundo, apenas 20% dos trabalhadores da saúde contam com medidas específicas de proteção a sua própria saúde”, explicou Ada Ávila, uma das coordenadoras do curso, que também ressaltou a gravidade do quadro de adoecimento encontrado entre estes profissionais.

Estudos realizados em diversos países demonstram que médicos, enfermeiros e outros ligados ao setor são vítimas constantes de males que vão de depressão à doenças de pele, sobretudo pela precariedade das condições de trabalho.

O curso tem duração de cinco meses e capacidade para formar, ao todo, cerca 80 gestores. “Mas essa demanda pode crescer na próxima edição. Tudo depende do número de adeptos que tivermos esse ano”, destacou Ávila.

Redação: Comunicação Nescon – (31) 3409 9790.

    Contador de visitas: 229 visualizações

    Veja também: