Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Um estudo desenvolvido na Faculdade de Medicina da UFMG ficou em primeiro lugar no Congresso Brasileiro de Neurologia Infantil, realizado em São Paulo, entre 3 e 5 de novembro. É a segunda vez que a Unidade, por meio do Laboratório de Investigação em Doenças Neuromusculares, é premiada no evento.

Pôster premiado durante o Congresso Brasileiro de Neurologia Infantil.

Vencedor na categoria “melhor casuística”, o trabalho “Doença de McArdle: estudo clínico, histopatológico e genético em pacientes brasileiros” teve como objeto uma enfermidade rara,  ligada à intolerância ao esforço físico. “A pessoa que tem doença de McArdle sente dores, cãibras e pode ter episódio de degeneração aguda do tecido muscular”, explicou Juliana Gurgel, professora do departamento de Pediatria e uma das autoras da pesquisa.

Com o estudo molecular dos pacientes que apresentavam sintomas da doença, foi possível descobrir que a mutação mais comum para o McArdle na Europa também se apresenta com prevalência no Brasil. Espera-se que, com esse resultado, seja possível chegar a diagnósticos cada vez mais seguros e precoces. “O importante é saber que tem o problema para evitar exercícios que possam levar até o óbito”, afirmou a professora.

O trabalho foi desenvolvido também pelo Ambulatório de Doenças Neuromusculares do Hospital das Clínicas da UFMG e teve apoio da Fapemig.

    Contador de visitas: 221 visualizações

    Veja também: