A Bioaptus, empresa incubada da Inova-UFMG, recebeu aprovação para seu projeto Pesquisa de Biomarcadores das Meningites para o Desenvolvimento de Kits de Diagnóstico, pelo edital de bioteconologia da Fapemig.

O projeto é de desenvolvimento de um kit de diagnóstico dos diferentes tipos de meningite, doença que afeta principalmente crianças. De acordo com o coordenador da Bioaptus, Luiz Augusto Pinto, ainda não existe no mercado produto capaz de garantir ao médico se um paciente está com meningite bacteriana (MB), do tipo maligna, ou causada por substâncias químicas e vírus (MA), do tipo benigna.

“Atualmente, os médicos tratam todos os pacientes com sintomas de meningite como MB. Isso gera altos custos para o SUS, devido ao valor econômico dos antibióticos”, afirma Luiz Augusto. “O kit permitirá que o profissional da saúde faça um diagnótico preciso, permitindo tratamento rápido e eficaz e aumentando as chances de sobrevivência dos pacientes”, completa.

A rapidez no início do tratamento também pode ajudar a diminuir sequelas como retardo mental, problemas no desenvolvimento motor e na audição, cegueira, entre outras.

O kit é composto por anticorpos sintéticos aptâmeros, desenvolvidos em plataforma Anfitech, que não necessita do uso de animais. A Bioaptus recebeu verba no valor de R$ 110 mil para o projeto. O edital 18/2010 da Fapemig disponibilizou R$ 1,4 milhão para pesquisas na área de biotecnologia.

*Agência de notícias da UFMG

 

 

 

    Contador de visitas: 195 visualizações

    Veja também: