Introvertido x antissocial: entenda a diferença

Pessoas de personalidade introvertida podem realizar atividades sociais na mesma proporção que os extrovertidos. Entender as diferenças entre tais comportamentos é importante para uma boa convivência


    30 de março de 2017


    Pessoas de personalidade introvertida podem realizar atividades sociais na mesma proporção que os extrovertidos. Entender as diferenças entre tais comportamentos é importante para uma convivência mais saudável

    Os traços de personalidade fazem parte da formação do caráter e características pessoais de cada indivíduo. Em trabalhos publicados no século XX, o psiquiatra suíço Carl Jung estabeleceu dois dos principais conceitos de traços de personalidade presentes no ser humano: os extrovertidos e os introvertidos.

    No programa de quinta-feira da série “Personalidades”, produzida pelo Saúde com Ciência, a especialista convidada estima que uma a cada quatro pessoas é introvertida. Indivíduos com essa característica tendem a dedicar um tempo maior a si mesmos, focando nos seus próprios pensamentos e emoções. Eles se sentem mais confortáveis nesses momentos, por exemplo, do que se estivessem em um evento com muitas pessoas.

    A professora do Departamento de Saúde Mental da Faculdade de Medicina da UFMG, Tatiana Mourão, esclarece que a ideia de “introvertido” se difere de “antissocial”:

     

    O fato de preferir estar na companhia de grupos menores de amigos, geralmente em ambientes mais tranquilos, não quer dizer que o introvertido vai ter dificuldades na realização de outras atividades sociais. Normalmente, ele não tem maiores problemas em interagir socialmente com pessoas desconhecidas, tampouco de falar em público. A compreensão adequada dessa personalidade ajuda a criar um ambiente profissional ou escolar mais amistoso e acolhedor para os introvertidos, como indica a professora:

     

    Tatiana ressalta que a possibilidade dos introvertidos desenvolverem quadros de ansiedade ou depressão é a mesma dos extrovertidos. Da mesma forma que, ao passarem mais tempo sozinhos, eles não se tornam necessariamente pessoas mais criativas:

    Dedicar um tempo a si mesmo contribui para uma vida mais saudável. Foto: Carol Morena

     

    Personalidade e formação do caráter

    O programa de terça da série “Personalidades” destaca a possibilidade dos traços de personalidade e construção do caráter de um indivíduo sofrer influência pelas companhias mais próximas e ambientes em que ele está inserido. O psiquiatra e professor aposentado da Faculdade de Medicina da UFMG, Maurício Viotti, esclarece que fatores internos ou externos podem influenciar no desvio de caráter da pessoa, mas essa relação não é obrigatória:

     

    Caso o indivíduo cometa algum ato criminoso, isso não significa necessariamente que a sua personalidade e caráter possam ser comparadas a de alguém que apresenta um quadro de psicopatia. O psicopata, por exemplo, é uma pessoa que sofre um distúrbio psíquico que afeta a sua forma de interação social, comportando-se de forma irregular com os demais indivíduos.

    Maurício Viotti observa que as circunstâncias momentâneas da vida da pessoa influenciam nas decisões que ela toma:

     

    A partir dos 18 anos, é comum que o indivíduo se torne menos influenciável pelo ambiente e passe a carregar os traços de personalidade adquiridos pelo resto da vida. No entanto, existem situações que podem “mudar” o comportamento e personalidade de alguém, como no caso de surtos esquizofrênicos ou quadros graves de depressão. Sobre isso, o psiquiatra pondera que essa suposta mudança de personalidade é temporária:

     

    Segundo os especialistas, seja uma pessoa introvertida ou extrovertida, é importante dedicar um tempo para si e caminhar na direção do autoconhecimento. Isso vai ajudar com que o indivíduo evite situações em que se sinta pressionado a mudar seu comportamento, o que pode causar desconforto.

    Aspas Sonoras

    As Aspas Sonoras, nova produção do Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG, ampliam a discussão sobre os temas abordados nas séries realizadas pelo programa de rádio Saúde com Ciência. As matérias apresentam áudios e textos inéditos daquilo que foi apurado durante as produções.

    A série Personalidades foi ao ar entre os dias 13 e 17 de fevereiro de 2017. Nela, foram tratados assuntos como o desenvolvimento da personalidade em crianças, a influência de fatores externos na personalidade e o que caracteriza uma pessoa introvertida.

    Redação: Luís Gustavo Fonseca – estagiário de Jornalismo

    Edição: Lucas Rodrigues