Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

Inclusão social de pessoas com deficiência envolve movimento


Publicado em: ExternasRádio - 2 de setembro de 2016

Com o início dos Jogos Paralímpicos 2016, Saúde com Ciência apresenta série sobre a importância das atividades físicas para as pessoas com deficiência

ImpressãoOs Jogos Paralímpicos a serem realizados no Brasil mostram como os esportes adaptados são essenciais para a saúde física e mental do praticante, reproduzindo, ainda, a importância da inclusão social. Esse “trio” de benefícios representou, inclusive, o contexto histórico que deu origem ao esporte para a pessoa com deficiência.

“Surgiu de uma atitude de reabilitação física, psicológica e social. Eram as pessoas que estavam voltando da Segunda Guerra Mundial, que adquiriram alguma deficiência. Então, dentro da estrutura de um hospital, elas começaram a praticar esporte com esse objetivo de reabilitação”, afirma o profissional de educação física, Mário Simim, integrante da comissão técnica da Seleção Brasileira de Futebol para Amputados e do Comitê Paralímpico Brasileiro.

Para o professor da Escola de Educação Física da UFMG, Marco Túlio de Mello, o esporte vai fazer com que olhemos a pessoa com deficiência de uma forma social e não discriminativa. “É o esporte que vai socializar essa pessoa, que vai fazer com que ela se insira na sociedade de modo que não seja discriminada. Vai, por exemplo, ajudar no contato da criança deficiente com a que não é deficiente, para que elas possam ser amigas e um observar o outro como eles são, não pela deficiência”, avalia.

A saúde dessas pessoas pode ser afetada por dificuldades de mobilidade e obesidade, associada a problemas como hipertensão e diabetes. Para evitar tais consequências, Mário Simim indica a prática de atividades físicas. “Se o indivíduo consegue realizar movimentos e participar do esporte, ele passa a ter um gasto calórico maior. Gastando mais, ele vai controlar, pelo menos, essas condições secundárias de saúde”, explica.

Vôlei sentado. Crédito da foto: voleisentadoeseffego.blogspot.com

Vôlei sentado. Crédito da foto: voleisentadoeseffego.blogspot.com

Atividades além do esporte

O esporte paralímpico e suas modalidades desempenham papel importante na saúde e integração social. Se alguns tipos de deficiência podem comprometer a participação do indivíduo em determinada prática esportiva, os especialistas reforçam que qualquer exercício físico é fundamental.

O professor aposentado da Faculdade de Medicina da UFMG, Mauro Ivan Salgado, amplia o conceito de atividade física adaptada. “O esporte é super importante, mas não é só o esporte em si – é a atividade física. Porque existem deficiências que são altamente incapacitantes, mas as pessoas não podem ficar paradas em hipótese nenhuma”, conclui.

Sobre o programa de rádio

O Saúde com Ciência é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. Ouça na Rádio UFMG Educativa (104,5 FM) de segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h.

O programa também é veiculado em outras 178 emissoras de rádio, distribuídas por todas as macrorregiões de Minas Gerais e nos seguintes estados: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e Massachusetts, nos Estados Unidos.

    Contador de visitas: 801 visualizações

    Veja também: