Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


O Hospital das Clínicas da UFMG realiza o X Mutirão de Demências, que promoverá atendimento à população e curso para médicos e profissionais de saúde relacionados à demência de Alzheimer e à Osteoporose

Entre os dias 13 e 17 de setembro, no Instituto Jenny de Andrade Faria do Hospital das Clínicas da UFMG,  acontece o X Mutirão de Demências, evento que tem foco no paciente, nos familiares e nos médicos e profissionais de saúde. O Mutirão visa esclarecer, população e profissionais, quanto à Demência de Alzheimer e à Osteoporose, principais doenças que comprometem a qualidade de vida do idoso.

Para tanto, o evento oferecerá atendimento a cerca de 300 idosos da capital e curso para cerca de 60 profissionais da saúde e médicos nestes dias. “Em Belo Horizonte temos cerca de 260 mil idosos e, desse número, de 20 a 30% deles precisa de atenção. Por isso, a realização desse evento, para treinar profissionais e informar e atender à população quanto ao cuidado com o idoso”, explica o coordenador do Ambulatório de Atenção à Saúde do Idoso do HC/UFMG, Edgar Nunes.

O Mutirão, que teve início em 2006, neste ano comemora o primeiro ano do Programa Mais Vida do HC/UFMG, o Dia Nacional da Doença de Alzheimer (21 de setembro) e os 15 anos do Serviço de Geriatria do HC/ UFMG.

Pacientes

Qualquer idoso com queixa de esquecimento pode participar do Mutirão, ser atendido por um geriatra do Ambulatório e realizar uma avaliação neuropsicológica completa e tomografia computadorizada, se for necessário. Para isso, serão distribuídas 100 senhas de atendimento por dia – 50 senhas às 7h e outras 50 senhas às 13h -, nos dias 14, 15 e 16 de setembro, no Instituto Jenny de Andrade Faria. Para ser atendido, é necessário que os idosos estejam acompanhados de um familiar.

Como novidade este ano, 60 dos pacientes que participarem do Mutirão serão selecionados para fazer o exame de densitometria óssea, único capaz de diagnosticar a Osteoporose. Os exames serão realizados no sábado, dia 17 de setembro. “Essa é uma ocasião para os pacientes com algum tipo de esquecimento, suspeita de Alzheimer, ou Osteoporose, serem avaliados. Além de ser uma oportunidade para os familiares e cuidadores aprenderem a lidar com o idoso”, informa o coordenador.

Profissionais

Para os médicos da Rede SUS-BH, o Mutirão oferecerá curso, com carga horária de 16 horas, dividida em teoria e prática. De acordo com Dr. Edgar, “o objetivo é instrumentalizar os profissionais para diagnóstico e tratamento de demências no idoso. O mais importante do Alzheimer é ter o diagnóstico, por isso, é preciso ter profissionais capazes de detectar a doença para então oferecer tratamento”. Segundo ele, apenas 10% das pessoas que têm a doença fazem tratamento, devido ao diagnóstico tardio ou errado.

A parte teórica do curso acontecerá no dia 13 de setembro, das 18h30 às 22h30 e, nos dias 14 a 16, as aulas práticas, com a realização de avaliação dos idosos da comunidade que receberam senhas. Ao todo são disponibilizadas 40 vagas para o curso.

Já no dia 17, demais profissionais e acadêmicos dos cursos de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia, Terapia ocupacional, Nutrição, Fonoaudiologia, Psicologia, Farmácia, Musicoterapia, Odontologia e Tecnologia em Radiologia, ou seja, profissionais da Atenção Primária à Saúde do SUS, poderão participar do curso, que também visa à preparação quanto à compreensão do paradigma de saúde do idoso. As inscrições para o curso também devem ser feitas no Instituto.

Informações

Central de Marcação MG Idoso: 0800-283-3247 / centromaisvida@pbh.gov.br

 

    Contador de visitas: 433 visualizações

    Veja também: