Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Gravidez assistida, filhos saudáveis


Publicado em: Notícias - 10 de março de 2010

Para muitas mulheres, ser mãe é a realização de um sonho. Para outras, a maternidade é um acontecimento não programado e, muitas vezes, difícil de lidar. Em ambos os casos, é importante que a gestação seja bem assistida e aconteça com todos os cuidados necessários para que o bebê se desenvolva da melhor forma possível.

De acordo com a professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFMG, Jacy Bastos Görgens, é ideal que haja um planejamento da gravidez. “O aconselhável é que não se arrisque uma gravidez sem que haja uma preparação dos pais no concernente à saúde física e psicológica da família. Os riscos são menores quando o casal decide em sintonia a hora de tentar gerar um filho”, adverte.

Jacy explica que as gestantes passam por várias transformações físicas, psicológicas e afetivas. “No início da gravidez, a mulher deve contar com mais instabilidade emocional: choro fácil, dúvidas quanto à sua capacidade em desempenhar o papel de esposa e mãe”, esclarece.

Ela conta da importância em se tomar certos cuidados, mesmo no período que antecede a gestação. “Não há mais dúvidas de que o uso do ácido fólico pela futura mãe, por exemplo, previne malformações no feto. Sua ingestão deve ser iniciada dois a três meses antes do início da gravidez”, alerta.

A professora aconselha que as mulheres que não desejam, ainda, ter filhos, devem se prevenir, fazendo o uso de anticoncepcionais e preservativos. “A mulher que não pode engravidar ou que não tem planejada a gravidez, deve tentar evitar a gestação. O método mais comum é a pílula anticoncepcional. Mas existem diversas outras opções, como o DIU, o anticoncepcional injetável e o preservativo. Assim, a mulher fica segura e evita as surpresas”, orienta.

Aconteceu, e agora?
Mesmo com todas as orientações médicas, existem casos em que a mulher não consegue planejar a gestação. Em verdade, há situações em que a gravidez é uma completa surpresa para a mãe e o pai da criança. “A gravidez não planejada implica em alguns problemas. A gestante pode estar fumando, usando bebidas alcoólicas, não ter usado o ácido fólico, por exemplo”, explica a professora.

Apesar de estar mais vulnerável a algumas complicações, a gravidez não planejada pode ser saudável e tranquila. “Há alguns anos não se sabia dos cuidados de hoje. Eles são importantes, mas o indispensável é cuidar de si e do bebê assim que a mulher descobre a gestação. Ela deve melhorar seus hábitos: retirar o fumo, beber moderadamente e, caso a gravidez tenha menos de dois meses, usar o ácido fólico”, ensina a professora.

Os cuidados dos pré-gravidos
Os casais que desejam ter filhos também devem tomar precauções. A mulher deve procurar seu ginecologista ou obstetra para avaliar suas estruturas orgânicas determinantes na evolução da gravidez. “O ideal é que a consulta pré-conceptual seja realizada três meses antes de se tentar engravidar. Assim há tempo de corrigir alguma alteração ou fazer algum tratamento necessário”, elucida.

O futuro pai também deve conferir se está em boas condições de saúde. “Esta avaliação pode ser feita com um urologista ou um clínico geral. O homem também deve se vacinar contra rubéola, para que não contamine outras pessoas, principalmente sua mulher, em início da gravidez, quando a infecção é muito danosa”, esclarece Jacy.

No entanto, de acordo com a professora, a maioria dos casais não busca informações quando decide ter filhos. Por vezes, os futuros pais passam muito tempo sem conseguir, espontaneamente, a gravidez. “A orientação é que, depois de seis meses de tentativas de engravidar sem sucesso, o casal procure um especialista. Os exames podem identificar problemas de fertilidade tanto nos homens quanto nas mulheres”, alerta.

Nesses casos, pode ser necessário um tratamento para infertilidade. Os tratamentos são diversos e, de acordo com a professora Jacy, é importante o acompanhamento de um profissional da confiança do casal. “Este processo pode ser feito por um ginecologista especialista na área. Mesmo um bom clínico geral pode acompanhar este casal. O importante é orientar tanto a mulher quanto o homem especialmente sobre o que se pode fazer para tornar a gravidez mais tranquila”, explica a professora.

A professora explica que existem técnicas populares para aumentar a fertilidade da mulher, mas que nem todas dão certo. “Alguns mitos são verdade e algumas vezes funcionam. Na época do verão, por exemplo, com maior luminosidade, a ovulação acontece com maior facilidade. Os hormônios também podem estar em níveis melhores, por exemplo. Mas as outras coisas devem ser levadas em conta. Os métodos podem até ajudar, mas a orientação de um profissional é essencial”, esclarece.

Planeja ter filhos? Informe-se antes
O livro “Planeja ter filhos? Informe-se antes” é de autoria da professora Jacy Bastos Görgens, publicado em 2010 pela Folium. Com a leitura, os pais em potencial aprendem os aspectos a serem considerados antes de vivenciar uma gravidez.

Na obra, há informações diversas, desde a decisão de ter filhos e da preparação do casal, até os cuidados nos casos mais específicos, como alguns tipos de doença ou uso de medicação.

    Contador de visitas: 392 visualizações

    Veja também: