Fonoaudiólogo é fundamental na escola


Publicado em: EspecialNotícias - 23 de maio de 2014

A presença do fonoaudiólogo na escola é fundamental para a aquisição e o desenvolvimento da comunicação. Porém, muitas vezes, o profissional é procurado apenas quando algum problema de aprendizagem é identificado. Para mostrar que a atuação do fonoaudiólogo vai muito além desse tipo de tratamento, foi realizada no início da tarde desta sexta-feira, 23, no segundo dia de atividades do 1º Congresso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG, uma mesa de discussão sobre o tema.

IMG_5021

Mesa sobre promoção da saúde aconteceu no Salão Nobre. Foto: Bruna Carvalho.

De acordo com a fonoaudióloga Adriana Vanísia Albino, além de colaborar na orientação e no planejamento escolar, o fonoaudiólogo desenvolve trabalho de potencialização da aprendizagem. ”Ao participar das discussões das estratégias de ensino e da metodologia da escola, o fonoaudiólogo pode, inclusive, prevenir possíveis problemas de aprendizagem”, explicou Adriana. Ela compôs a mesa de debates presidida pela professora do Departamento de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG, Rita de Cássia Leite.

As habilidades relacionadas à linguagem oral e escrita e, sobretudo, o desenvolvimento de aspectos cognitivos, linguísticos e metalinguísticos devem ser acompanhados pelos fonoaudiólogos no ambiente escolar. “Bem como efeitos negativos sobre a alfabetização, as alterações de fala e linguagem podem trazer prejuízos a aspectos educacionais gerais e até mesmo ocupacionais. Por isso, é importante o acompanhamento do profissional para construção de estratégias eficazes para o desenvolvimento da comunicação”, ressaltou a especialista Adriana Albino.

A melhoria na qualidade da aprendizagem, portanto, passa pela necessidade de trabalhar educação e saúde de forma conjunta. Porém, segundo a enfermeira do Programa Saúde na Escola (PSE), Elisangela de Oliveira, a inserção do fonoaudiólogo nesse ambiente ainda é tímida. “É preciso que os professores, diretores, gestores, assim com a sociedade, saibam da importância dessa parceria para a atuação de uma equipe multidisciplinar”, ressaltou e enfermeira em apresentação sobre o PSE.

Ruído

O fonoaudiólogo também pode atuar na promoção à saúde de alunos e professores ao buscar condições ideais para o processo de aprendizagem. Segundo pesquisa realizada pela fonoaudióloga Alessandra Terra Vasconcelos, doutoranda da Escola de Engenharia da UFMG, os ruídos nas escolas são grandes empecilhos para a aprendizagem e os profissionais de fonoaudiologia devem estar atentos a isso. “Para que o aluno aprenda, é preciso que o ambiente tenha boas condições acústicas”, esclareceu.

Ela conta que a poluição sonora traz prejuízos para alunos e professores, que expostos diariamente aos ruídos, ficam mais estressados, ansiosos, com fadiga e maior dificuldade de concentração. “Os ruídos são provenientes tanto da parte externa, quanto da interna. Com isso, acabam competindo com o professor”, afirma Alessandra.

Segundo ela, cerca de 30% dos professores são afastados com problemas vocais, por falarem muito alto. Por isso, a especialista ressalta que o profissional de fonoaudiologia precisa observar essas condições e propor intervenções para amenizar os danos que os ruídos podem provocar à saúde.

Outros temas relacionados à atuação do fonoaudiólogo também serão debatidos no 1º Congresso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG, que segue com a programação até sábado, dia 24 de maio.

    Contador de visitas: 394 visualizações

    Veja também: