Com o objetivo de promover reflexões sobre o atual cenário de pesquisa na área de Fonoaudiologia, a Faculdade de Medicina sediou o I Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Ciências Fonoaudiológicas, nessa quinta-feira, 12 de setembro.

fotos camera 401

Foto: Larissa Rodrigues

Um dos palestrantes foi o professor Edmundo Gallo, pesquisador do Ministério da Saúde, que abordou a interação da pesquisa com os diversos segmentos sociais. Ele falou sobre a articulação de observatórios de tecnologias da informação e comunicação em sistemas e serviços de saúde. “Fiz uma discussão em equipe para compartilhar a minha experiência sobre o observatório. Além disso, abordei questões que ajudam e instigam a reflexão na área”, contou.

DSC00180

Edmundo Gallo, do Ministério da Saúde. Foto: Karla Scarmigliat

Edmundo Gallo afirmou que, para que o curso cresça, é preciso ampliar o olhar para além do teórico. “Com os observatórios, a proposta é promover avanços do conhecimento da prática. O projeto consiste em um espaço interdisciplinar e de produção de tecnologia vinculadas às políticas públicas”, explica.

DSC00193

Maria Cecília falou sobre o sistema de avaliação da Capes. Foto: Karla Scarmigliat

Outra palestrante convidada foi a professora da Universidade Federal de São Paulo, Maria Cecília Martinelli Iorio. Ela falou dos métodos de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).  “A área 21 concentra os cursos de Fonoaudiologia, Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. O grupo da pós da Fonoaudiologia é muito bom, pois tive projeto aprovado mesmo com o alto índice de reprovação da Capes para essa área, que é em torno de 70%”, destacou.

De acordo com a coordenadora do programa na Faculdade de Medicina da UFMG, a professora do Departamento de Fonoaudiologia Ana Cristina Cortes Gama, o evento trouxe discussões importantes para a área. “É preciso refletir sobre os desafios futuros. O curso é novo, a primeira turma de mestrado começou neste ano. Como pretendemos oferecer o doutorado também, precisamos que o curso seja bem avaliado”, disse.

O evento contou ainda com a participação do pró-reitor de Pós-Graduação da UFMG, Ricardo Santiago Gomez, e do pró-reitor de Pesquisa da Universidade, Renato de Lima Santos.

 

    Contador de visitas: 642 visualizações

    Veja também: