Ambas instituições completam, em 2011, cem anos de existência

Separadas por mais de 7 mil km, as faculdades de Medicina da UFMG e de Lisboa, em Portugal, têm muito mais em comum do que seu objeto de ensino. Além de serem reconhecidas por sua excelência, ambas completam, em 2011, cem anos de existência e com o mesmo objetivo: um progresso contínuo nas áreas de educação e de pesquisa. Foi com esse espírito que representantes das duas instituições se reuniram nesta sexta-feira, 7 de outubro, para assinar o Programa de Cooperação na Área das Ciências Médicas e Biomédicas Ega Moniz.

A ideia do programa é abrir portas para uma troca permanente de conhecimentos e pesquisas, desenvolvimento em conjunto de projetos, eventos científicos, seminários e publicações. A curto prazo, deve-se promover intercâmbio estudantil. “Queremos que a mobilidade de estudantes de graduação e pós-graduação comece em 2012”, afirma o diretor da Medicina da UFMG, Francisco Penna, reconhecendo o prestígio da instituição parceira.

Em visita ao campus saúde, durante a manhã, o diretor da Faculdade de Medicina de Lisboa, José Fernandes e Fernandes, acompanhado da esposa, conheceu as dependências e grande parte dos projetos da unidade da UFMG: Centro de Tecnologia em Saúde (Cetes); Núcleo de Educação em Saúde Coletiva (Nescon), Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico (Nupad) e Internato Rural.

Durante o passeio, ele citou o respeito com a ética e preocupação com a qualificação na UFMG como qualidades que chamaram a atenção da Universidade de Lisboa. Mas José Fernandes e Fernandes fez questão de ressaltar que as semelhanças entre as duas faculdades ultrapassam os limites da medicina. “Nós falamos a mesma língua, temos culturas parecidas”.

O convênio será assinado durante a tarde, na presença, também, do reitor da UFMG, Clélio Campolina, e o reitor da Universidade de Lisboa (Portugal), António Nóvoa.

Leia mais: Reitores selam acordo entre UFMG e Universidade de Lisboa

    Contador de visitas: 361 visualizações

    Veja também: