Acesso interno

Evento apresenta os novos espaços de informática

Novidades são resultados do Programa de Apoio a Projetos Estruturantes de Laboratórios para o Ensino de Graduação (Paleg) e serão apresentadas em evento de conclusão


    02 de dezembro de 2019 - , , , ,


    A Faculdade de Medicina da UFMG irá apresentar as novidades oriundas do edital Programa de Apoio a Projetos Estruturantes de Laboratórios para o Ensino de Graduação (Paleg), da Pró-reitoria de Graduação da UFMG (Prograd), em uma cerimônia de conclusão das ações, aberta a toda a comunidade, no dia 11 de dezembro, às 10h, no hall do 4º andar da Instituição. Através dessa chamada interna, a Unidade agora conta com cinco laboratórios, incluindo um completamente novo e a restruturação dos antigos, além de capacitação docente para uso do Moodle e novos espaços de informática para uso básico.

    Com o Paleg, a Prograd visava apoiar a estruturação de laboratórios para o ensino de graduação, com o objetivo de estimular e consolidar ações inovadoras que contribuam significativamente para a qualidade e para a melhoria do ensino nos cursos de graduação da UFMG. A proposta da Faculdade, selecionada no edital, foi a do Centro de Informática em Saúde (Cins) com o nome “Saúde digital para o profissional do futuro”.

    “É um projeto do Cins, mas contou com o apoio dos professores Eliane Gontijo, Ana Cristina Simões e Silva, Fernando Reis, Paulo Márcio, Ada ávila, Stela Maris Aguiar Lemos e o superintende administrativo da Faculdade Maurílio da Silva Elias”, relata a coordenada do projeto e do Centro de Informática em Saúde, professora Zilma Reis.  De acordo com ela, o envolvimento de pessoas de diferentes áreas é para ressaltar que o uso dos espaços servirá a toda a Faculdade, favorecendo ambos os cursos.

    Uma demanda do ensino         

    A professora Zilma conta que para a proposta do Cins foi o levantamento das demandas de uso dos espaços de informática e constataram 26 turmas, com 2.496 estudantes de graduação, atendidos em disciplinas que usavam os laboratórios, além de 12 turmas com 448 alunos de pós-graduação. “Ou seja, antes do Paleg, havíamos uma demanda de 2.944 alunos por semestre para o uso desses laboratórios. Isso sem considerar os pedidos de professores que queriam utilizar esses espaços, mas a demanda já era grande demais”, comenta.

    Após o Paleg, a Faculdade conta com cinco laboratórios de informática. Foto: Carol Morena

    “Antes, havia três laboratórios, um no 6º andar e dois no 5º, mas com os recursos do Paleg foi possível criar um novo, na sala 321, e reestruturar o laboratório que era utilizado somente pelo Curso Superior de Tecnologia em Radiologia, devido ao número limitado de máquinas, tornando possível seu uso para todos os cursos de graduação”, explica Zilma.

    Assim, ao final do projeto, a Faculdade conta com cinco laboratórios de informática para uso dos três cursos de graduação, prioritariamente, para análise de imagem e busca de informações no espaço virtual, por exemplo, mas também para a pós-graduação. “O Paleg nos deu uma oportunidade de repensar esses espaços e ver como essas demandas eram reprimidas. Parte do recurso veio da Prograd, mas foi necessário a complementação da Faculdade”, afirma Zilma Reis.

    Para a vice-diretora da Faculdade, professora Alamanda Kfoury, essas mudanças qualificam ainda mais os cursos de graduação. “O projeto do Cins, escolhido pela Congregação da Faculdade para participar dessa chamada interna, é muito democrático, porque disponibiliza a ampliação do acesso pelos três cursos de graduação para aulas que usam metodologias mais avançadas de ensino, o que é uma necessidade atual. É necessário ter metodologias que sejam mais significativas para o estudante e seu aprendizado”, declara.

    “Sabemos que essa ação poderá melhorar a qualidade de ensino dos cursos ofertados nesta Instituição, com melhor garantia do aprendizado e com metodologias de avaliação mais avançadas. E também é uma resposta para a avaliação do Mec e do Saeme, mesmo com a nota máxima, que apontavam essa necessidade”, pontua Alamanda.

    Ela ainda destaca sobre a informatização em saúde ser um desafio atual. “Assim, incorporar essa metodologia na graduação já prepara os estudantes para o uso profissional”, justifica. “Pesando nos pilares da Faculdade, vale ressaltar que esse é um espaço que pode ser usado para o ensino, mas também com a oportunidade da pesquisa e da extensão se beneficiarem da iniciativa”, completa.

    Novidades

    Dois laboratórios receberam computadores novos, de última geração, e os demais foram atualizados. Todas as máquinas disponibilizam recursos multimídia, acesso à internet, software estatístico, entre outros. Além disso, todas as salas agora contam com ar-condicionado e renovação da mobília.

    “Na descrição do projeto falamos que um dos desafios do novo profissional de saúde passa pelo uso das tecnologias digitais, por isso precisamos usar esses recursos para formar profissionais melhores. Cada vez mais, além dessas disciplinas que dependem do laboratório, queremos ofertar a possibilidade para as outras disciplinas também utilizarem desses espaços”, conta Zilma Reis.

    “Antes não tínhamos como fazer isso. Então junto com os novos e reformados laboratórios, queremos estimular o ensino no ambiente virtual. Para isso, iremos promover uma oficina sobre o ambiente Moodle para os docentes e, agora, temos uma pessoa dedicada a dar suporte para o professor utilizar esse ambiente através do agendamento prévio com o Cins”, conta. Ou seja, a proposta tinha o objetivo de revitalizar os laboratórios existentes e promover apoio ao professor para uso do ambiente virtual, o que Zilma considera uma mudança de paradigma, para maior uso das tecnologias digitais em apoio às disciplinas.

    Os professores interessados em receber suporte para uso do Moodle, podem agendar com o Cins pelo (31) 3409-9928 ou cins@medicina.ufmg.br.

    Já as reservas de laboratórios devem ser feitas como para as salas de aula, através da intranet, com o mínimo de 48 horas de antecedência. É possível fazer o agendamento para todo o semestre, conforme o programa da disciplina.

    Foto: Carol Morena

    “Outro ponto é que criamos um espaço de informática, chamado Internet Express, onde o aluno pode fazer consultas rápidas ou outra atividade que demanda acesso à internet independente dos laboratórios, já que esses são abertos apenas para as aulas. Lá ele pode acessar o email, por exemplo, o Moodle, verificar um trabalho, dentre outras atividades”, acrescenta a professora Zilma. 

    Dessa forma, foram revitalizados quatro totens, que estão no 4º andar, próximo ao elevador, com os softwares mais usados como pacote office, end note, entre outros.