Acesso interno

Faculdade adere à rede lusófona de cooperação internacional

Rede de Cooperação das Escolas Médicas de Língua Portuguesa estabelece esforços de compartilhamento de experiências entre Universidades


    14 de novembro de 2019 - ,


    O professor Humberto celebra assinatura junto ao professor Fausto José da Conceição Alexandre Pinto, da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Foto: Divulgação FMUL.

    O diretor da Faculdade de Medicina da UFMG, professor Humberto José Alves, participou da assinatura do Protocolo de Intenções para a constituição da Rede de Cooperação das Escolas Médicas de Língua Portuguesa (CODEM-LP) nesta quinta, 14 de novembro. A assinatura do termo aconteceu na Universidade de Lisboa.

    A CODEM-LP visa a cooperação internacional entre as instituições como meio de estimular a integração dos esforços acadêmicos dos países lusófonos para o avanço mútuo de aperfeiçoamento docente e discente. O Protocolo de Intenções lista como objetivos o intercâmbio discente regular e avançado em graduação, a cotutela em pós-graduação e pesquisa com dupla titulação, o intercâmbio e aperfeiçoamento docente, e a pesquisa e inovação com participação multilateral.

    O diretor defendeu a importância da internacionalização do intercâmbio de experiências. “A criação dessa rede é uma importante convergência de esforços e compartilhamento de experiências para a melhoria da saúde das pessoas dos países de língua portuguesa”, afirmou o professor Humberto Alves. Além dele, participaram da assinatura representantes de outras seis instituições públicas brasileiras, além de três universidades de Portugal, uma de Angola, uma de Macau e uma de Moçambique.

    Confira o Protocolo de Intenções na íntegra.

    Leia a matéria publicada pela Universidade de Lisboa.

    Foto: Divulgação FMUL.

    Simpósio sobre Intercâmbio em Medicina

    A assinatura do Protocolo se deu durante o Simpósio sobre Intercâmbio em Cultura, realizado nos dias 13 e 14 de novembro, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. O evento teve como objetivo lançar as bases da primeira rede lusófona de escolas médicas, fortalecendo os laços da comunidade médico-acadêmica dos países de língua portuguesa nos campos de ensino e pesquisa em Saúde.

    Durante o Simpósio, o diretor da Faculdade de Medicina da UFMG, professor Humberto Alves, destacou as ações da Faculdade no âmbito da Telesaúde. Dentre os temas abordados estavam a teleassistência e a teleducação, apresentando números de 2005 a 2019, com destaque para os mais de 4 milhões de casos analisados em telecardiologia. De acordo com o diretor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, professor Altamiro Manuel Pereira, o Brasil apresentou-se como o mais avançado da área.

    Saiba mais sobre o evento.

    (Com informações da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa)