Notícias Internas

Estudante apresenta Liga de Bioética e convida para palestra


Publicado em: InternasOpinião - 19 de outubro de 2017

O estudante do 5º período do curso de Medicina, Pedro Henrique de Almeida Andrade apresenta, no texto abaixo, a recém-criada Liga de Bioética da Faculdade de Medicina da UFMG, coordenada pelo professor do Departamento de Clínica Médica da Unidade, Luís Felipe José Ravic de Miranda.

No texto, o estudante rememora três palestras já realizadas pela Liga e convida a comunidade acadêmica para a próxima apresentação, na sexta-feira, 20 de outubro, com a farmacêutica e bioquímica Renata Gusson, do Observatório Interamericano de Biopolítica.

Leia a apresentação do estudante:

 “A Liga de Bioética da Faculdade de Medicina da UFMG iniciou suas atividades em agosto de 2017, com o objetivo de ser um espaço para a discussão de diversos temas relacionados à Ética, Bioética e Medicina. Tendo em vista a responsabilidade da prática médica em relação à vida, o estudante de medicina necessita de uma formação humana sólida, baseada em valores e princípios que devem nortear suas ações como profissional. Entretanto, nota-se que esses temas são poucos discutidos durante a graduação, causando ansiedade e dúvidas nos estudantes quando confrontados com alguma situação em que se veem em um embate ético. Percebendo essa demanda, a Liga de Bioética organiza mensalmente palestras-aulas com especialistas renomados em diversas áreas como Geopolítica, Filosofia, Direito, entre outros, para que os ligantes possam ter a oportunidade de aprender e discutir sobre temas cruciais para a prática de uma medicina humanizada como comunicação de más notícias, mídia e bioética, geopolítica do aborto, etc.

A Liga não estabelece limite mínimo de períodos cursados para ingresso nas suas atividades. Apesar de aceitar alunos de todos os períodos, a Liga está preferencialmente aberta aos estudantes dos primeiros períodos. Nos anos iniciais os alunos estão ávidos por abordar suas angústias e vivências em relação ao curso de medicina, facilitando a absorção de valores, construção de virtudes além da possibilidade de oferecer resposta para diversos questionamentos pessoais.

Já foram realizadas três palestras desde o início das atividades da Liga. A primeira no dia 10 de agosto “A importância da Ética e da Bioética” com o professor do Departamento de Clínica Médica e geriatra, Luís Felipe José Ravic de Miranda. Com grande participação dos ligantes, o professor abordou desde os motivos que envolvem a opção pela carreira médica, suas peculiaridades até o papel crucial da Bioética na atenção à saúde. Outro ponto importante da palestra foi o comentário do professor sobre a importância de estabelecer um vínculo entre o humanismo e a cultura científica. Assim, deve-se reconhecer o papel central da dignidade da vida humana.

A segunda palestra, realizada em 24 de agosto por Diego de Jesus Hernandes, jornalista mexicano especializado em análise política e jornalismo cultural, com o tema “A mídia e a bioética”, teve como foco a responsabilidade na transmissão da informação por parte dos profissionais de saúde. Exemplificando o problema da veiculação de informações falsas e deturpadas nas redes sociais e em outros meios, Diego reforçou que o médico tem a obrigação de ser o mais claro e preciso na comunicação com o paciente, bem como em qualquer situação que exija um posicionamento profissional. Isso reforça a confiança na relação médico-paciente, garante a efetividade da conduta, além de assegurar um discurso cientificamente coerente e honesto. O palestrante também citou outro fator que prejudica a integridade da informação: a agenda ideológica. Uma agenda ideológica é um conjunto de ideias defendidas por determinado grupo e reproduzidas em diversos meios como tentativa de legitimar suas convicções. Porém, no âmbito da informação, a agenda ideológica pode violar o conteúdo da verdade, direcionando o interlocutor a um raciocínio falso devido à subordinação da publicação aos interesses alheios. Para Diego, quem transmite a informação no âmbito médico, precisa antes de tudo ter compromisso com a ciência, validando seus argumentos com base nas evidências científicas.

A terceira e mais recente palestra, realizada no dia 28 de setembro, pela pediatra e intensivista Filomena Camilo do Vale, teve como tema “A Comunicação de Más Notícias”. Ela comoveu os ligantes com sua experiência com casos graves que tiveram um desfecho ruim, e na comunicação desses fatos para familiares e responsáveis dos pacientes. A palestrante mostrou as etapas e precauções que são indispensáveis para que esse difícil momento seja o menos traumático possível. Com a presença das Ligas de Bioética e de Pediatria da UFMG e Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, Filomena soube mostrar para os alunos maneiras de lidar com situações delicadas, como informar sobre um diagnóstico de doença terminal, ou mesmo sobre a morte do paciente. Doutora Filó, como também é conhecida, citou casos que ela mesma vivenciou, nos quais ela teve de equilibrar o conhecimento médico com a sensibilidade humana, e deu dicas paras os alunos sobre como lidar diante dessas situações: dar espaço para os pacientes e familiares demonstrarem seus sentimentos, ser compreensível, preparar o ambiente para o momento da comunicação, demonstrar-se disponível para qualquer dúvida ou ajuda que eles precisem, entre outros.

A próxima palestra será realizada no dia 20 de outubro com a farmacêutica e bioquímica Renata Gusson, do Observatório Interamericano de Biopolítica, e uma das principais representantes na defesa dos direitos da mulher no cenário político nacional. O tema da palestra será “História da formação da problemática do aborto”. Convidamos a todos os interessados!

 

Esta página é reservada a manifestações da comunidade universitária. Para ser publicado, o texto, com até 5000 caracteres, deverá versar sobre assunto de interesse da comunidade da Faculdade de Medicina, com enfoque amplo. Também deverá conter o nome completo do autor, seu vínculo com a universidade, telefones e correio eletrônico. O texto original poderá ser editado de acordo com as normas jornalísticas adotadas pela ACS Medicina. Sua publicação, porém, não exprime necessariamente a opinião da Faculdade de Medicina.

    Contador de visitas: 256 visualizações

    Veja também: