Modelos magérrimas, com cabelos lindos e nada de celulites. O culto ao corpo perfeito nas páginas das revistas faz com que muitas mulheres se sintam frustradas com qualquer problema relacionado à estética e optem por alternativas rápidas e “milagrosas”. Mas os cuidados com a beleza devem levar em conta o fato de que a aparência desejada é reflexo de um corpo saudável.

Emagrecer

Um dos problemas que mais aterroriza as mulheres são as celulites, mais comuns do que se imagina. Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Dermatologia, 99% das brasileiras têm celulites após os 30 anos. A dermatologista e professora da Faculdade de Medicina da UFMG, Luciana Baptista, explica que as celulites são pequenos aglomerados de gordura – e todo ser humano deve ter uma porcentagem mínima de gordura corporal. A especialista alerta também sobre os riscos dos tratamentos oferecidos em centros estéticos. “Alguns são contraindicados, como a carboxiterapia, porque não há nenhum trabalho científico demonstrando sua eficácia e pela possibilidade de haver efeitos colaterais”, diz.

Na ânsia de alcançar um corpo esbelto, muita gente recorre também aos emagrecedores – o que não é nada saudável. Segundo a endocrinologista e professora da Faculdade de Medicina da UFMG, Maria de Fátima Diniz, as pílulas à base de anfetaminas podem causar inúmeros efeitos colaterais. “Alteração de humor, insônia, irritabilidade, aceleração do ritmo cardíaco, tontura”. E é justamente por isso que a Anvisa proibiu a livre comercialização dessas cápsulas, sendo permitidas apenas os emagrecedores à base de sibutramina e orlistat – que só são vendidos com receita médica e como último recurso para o tratamento do excesso de peso.

O fato é que somente com exercícios físicos e reeducação alimentar é possível manter um corpo mais bonito e saudável. “Se não houver mudança de hábito junto aos tratamentos para emagrecer, não vai haver melhoria”, afirma a endocrinologista Maria de Fátima Diniz.

Cabelos e pele

Para as mulheres que querem manter os cabelos lisos, é preciso cuidado na hora de escolher o tratamento para alcançar esse resultado. O uso de formol foi proibido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em função dos riscos que oferece à saúde. “Essa substância pode levar ao câncer. Ela não deve ser utilizada em nenhuma faixa etária”, alerta a dermatologista Luciana Baptista. De acordo com a especialista, as reações alérgicas ao produto incluem coceira intensa, bolinhas avermelhadas, ardor nos olhos e até dificuldade para respirar e queda de cabelo. Por isso, é preciso manter-se alerta, pois alguns salões de beleza continuam misturando o formol nas fórmulas de alisamento sem comunicar à cliente.

Em relação aos cuidados com a pele, a dica é sobre as maquiagens. A boa notícia é que esses produtos estão ganhando cada vez mais qualidade, de acordo com a dermatologista Luciana Baptista. “Hoje em dia, as maquiagens têm pouca chance de causar alergia e obstrução nos poros, pois elas estão mais finas e menos obstrutivas”. Mas a professora faz um lembrete importante: “é preciso lavar o rosto para retirar todo o produto diariamente”.

Tema da Semana

Estética Feminina é o tema do Saúde com Ciência desta semana.  O programa é desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. O conteúdo é veiculado em 20 emissoras de rádio. Também é possível conferir as edições pelo site do Saúde com Ciência

Confira a programação:

Alisamento salvação ou condenação? – Segunda-feira (14/05/2012)

Celulite – o terror das mulheres! – Terça-feira (15/05/2012)

Emagrecedores – os perigos do resultado imediato – Quarta-feira (16/05/2012)

Saltos altos – Um desejo feminino – Quinta-feira (17/05/2012)

Maquiagens – acessório de beleza ou malefício para pele? – Sexta-feira   (18/05/2012)

 

 

 

    Contador de visitas: 563 visualizações

    Veja também: