Eixo transversal aborda tratamentos fora da medicina ocidental convencional

A necessidade de inclusão da espiritualidade e da religiosidade no ensino, pesquisa e prática clínica e as práticas integrativas e complementares serão tema do eixo transversal do 4º Congresso Nacional da Saúde. Encontro acontece em agosto, na Faculdade de Medicina da UFMG.

O eixo é coordenado pelo professor do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade e coordenador do Núcleo Avançado de Saúde, Ciência e Espiritualidade da UFMG (Nasce), Rubens Tavares.

De acordo com o professor, na última década, houve um aumento significativo do número de artigos acadêmicos publicados sobre o assunto, revelando um interesse no estudo destes temas.  Além disso, vários pesquisadores têm estudado a relação entre espiritualidade e religiosidade e a saúde. “Pesquisas têm demonstrado que a religiosidade é fator protetor contra comportamento suicida, tabagismo, uso de drogas ilícitas, hipertensão, dentre outras patologias. Tem sido relacionada a maior expectativa de vida e é utilizada pela maioria dos pacientes no processo de enfrentamento de doenças”, destaca.

“Acredita-se que a leitura de textos religiosos, prática da prece e meditação possam influenciar positivamente na saúde”, explica Rubens. Foto: Carol Morena

“O mecanismo exato que influencia a saúde ainda é desconhecido, mas acredita-se que a leitura de textos religiosos, prática da prece, meditação, realização de serviços voluntários e a integração e apoio mútuo existente em comunidades que praticam a religiosidade e espiritualidade, possam influenciar positivamente na saúde”, completa.


Espiritualidade e Religiosidade

De acordo com o professor Rubens, a espiritualidade é o aspecto de humanidade que se refere ao modo pelo qual indivíduos buscam e expressam sentido e como eles experienciam sua conexão com o momento, consigo mesmos, com os outros, com a natureza e com o significativo ou sagrado. “É uma busca pessoal por entender respostas a perguntas fundamentais sobre a vida, sobre o sentido e o relacionamento com o sagrado ou transcendente, que pode ou não, levar ou surgir do desenvolvimento de rituais religiosos e da formação de comunidade”, explica.

Ainda de acordo com o professor, há uma diferença entre conceitos de religião e religiosidade. A religião é um construto multidimensional que inclui crenças, comportamentos, rituais e cerimônias, mas que são derivados de tradições estabelecidas que se desenvolveram ao longo do tempo dentro de uma comunidade. Já a religiosidade é o grau com que uma pessoa se identifica e pratica os preceitos de sua religião.

O assunto é tema da palestra “Saúde e espiritualidade: da pesquisa à prática clínica”, dia 28 de agosto, no auditório do Centro de Tecnologia em Saúde da Faculdade. A palestra será ministrada pelo professor da Universidade Federal de Juiz de Fora e pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Espiritualidade e Saúde (Nupes-UFJF), Giancarlo Lucchetti.


Práticas integrativas e complementares

Práticas integrativas englobam terapias complementares como a homeopatia. Foto: Carol Morena.

As práticas integrativas englobam terapias complementares como homeopatia, musicoterapia, acupuntura, fitoterapia, antroposofia, yoga, meditação e toque terapêutico. Segundo Rubens, as terapias são complementares, porque não são consideradas como parte prática médica alopática convencional, mas como um tratamento adicional. Atualmente, diversas práticas integrativas são oferecidas pelo Sistema Único de Saúde em Belo Horizonte.

Durante o 4º Congresso Nacional de Saúde, no dia 30 de agosto, às 8h, será realizada a mesa-redonda “Práticas Integrativas e Complementares (PICs), no Salão Nobre da Unidade. O tema “Homeopatia: evidências científicas” será abordado pelo professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Marcus Zulian Teixeira; a palestra “Musicoterapia” será ministrada pelo professor da Escola de Música da UFMG, Renato Sampaio; e o professor do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG, Ramon Moreira Consenza, abordará o tema “Terapias Corpo e Mente”.

Congresso Nacional de Saúde

A 4ª edição do Congresso será realizada do dia 28 a 30 de agosto de 2017, na Faculdade de Medicina da UFMG, com o tema “Promoção da Saúde: Interfaces, Impasses e Perspectivas”. As inscrições para submissão de trabalhos e participação como ouvintes podem ser feitas com desconto até o dia 3 de julho.

O Congresso Nacional de Saúde é direcionado a um público multidisciplinar, composto de profissionais de diversas áreas da Saúde e correlatas, tanto do setor público quanto do setor privado, em especial professores, técnicos e estudantes, bem como agentes da saúde. A previsão da comissão organizadora é reunir 600 pessoas.

O 4º Congresso Nacional da Saúde integra ainda a programação das comemorações dos 90 anos da UFMG, celebrados em 2017.

Mais informações e inscrições na página do 4º Congresso Nacional de Saúde.

 

Leia mais:

Qualidade de morte como estratégia de valorização da vida
Faculdade de Medicina recebe inscrições de trabalhos para Congresso de Saúde
Violência na contemporaneidade será discutida em Congresso de Saúde
Desafios da Atenção Primária e Medicina de Família em debate no Congresso
4º Congresso prioriza áreas da Saúde de maior relevância na atualidade
Abertas inscrições para o 4º Congresso Nacional da Saúde

    Contador de visitas: 2.961 visualizações

    Veja também: