Para uso contínuo da pílula, médico deve ser consultado.

Para evitar uma gravidez não planejada o ideal é que haja um planejamento familiar, com ações pensadas tanto para as pessoas que pretendem ter filhos quanto para as que preferem adiar o crescimento da família. Um dos principais métodos auxiliares no planejamento familiar é o uso de contraceptivos.

O professor do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFMG, Antônio Aleixo, é especialista em contracepção e fertilidade, e esclarece dúvidas frequentes sobre métodos contraceptivos.

O método conhecido como “coito interrompido” é eficaz?
Antônio Aleixo – Não. Ele um dos métodos menos eficazes devido ao fato do homem secretar um líquido (pré-ejaculado), que contém espermatozóides, mesmo antes do orgasmo, o que pode resultar em uma gravidez se não houver um método contraceptivo adicional. Além disso, o método não evita doença sexualmente transmitidas (DST)

Na bula de pílulas anticoncepcionais é orientado que se a mulher esquecer-se de tomar a pílula no horário usual, ela pode tomar até 12 horas depois. Nesse caso, a eficácia do método diminui?
Não. Tomando a pílula dentro deste período a usuária continua com a mesma proteção.

É verdade que anticoncepcionais retém líquido e fazem a mulher ganhar peso?
Eventualmente sim. No entanto, se ocorrer, o ganho de peso é mínimo, se restringindo a um máximo no máximo 2kg. Isso depende da quantidade de hormônios na composição do medicamento, que provoca inchaço e retenção de líquido. Mas essa não é acumulativa, e sim transitória, e ocorre principalmente na segunda metade da cartela da pílula.

Existem remédios que cortam o efeito da pílula contraceptiva?
Sim. Os principais medicamentos que comprovadamente diminuem o efeito contraceptivo das pílulas são: anticonvulsivantes e barbitúricos (Fenobarbital, Difenilhidantoína, Carbamazepina, Primidona, Etossuximida), Erva de São João, Rifampicina e Griseofulvina.

Quando o uso do Dispositivo Intra Uterino (DIU) é indicado?
O DIU de cobre pode ser usado por todas as mulheres que não tenham contra-indicações a seu uso, mas, em geral são mais bem adaptados em mulheres que já têm filhos. No caso do uso em mulheres que não tem filhos devem-se privilegiar os modelos de menor tamanho.

A interrupção da menstruação pelo anticoncepcional possui alguma reação adversa?
De um modo geral não há problemas. Algumas vezes é até indicado o uso contínuo da pílula. No entanto, deve-se fazer uma avaliação médica prévia.

O preservativo feminino é tão eficiente quanto o masculino?
Sim, e talvez seja até mais eficaz. Ela é também mais eficaz na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

A mulher que toma regularmente anticoncepcional, mas certa vez não usou o preservativo, deve tomar a chamada “pílula do dia seguinte” por precaução?
Não. Ela só deveria tomar caso não usasse nenhum outro método contraceptivo. Porém a ação não é indicada, pois não previne ambos de DST.

Quanto tempo antes de ter relações sexuais a mulher deve começar a tomar a pílula anticoncepcional?
O anticoncepcional oral e os injetáveis já são eficazes desde o primeiro mês de uso, desde que a usuária inicie, de preferência, no primeiro dia de menstruação.

    Contador de visitas: 614 visualizações

    Veja também: