Projeto idealizado pela professora substituta do curso de Fonoaudiologia da UFMG, Renata Furlan, em parceria com o Grupo de Engenharia Biomecânica da UFMG foi premiado na competição Idea-to-Product Latin America 2015 (I2P). A equipe Lingvo, da qual ela fazia parte, desenvolveu um dispositivo para reabilitação da força e da mobilidade da língua para pacientes em terapia fonoaudiológica na área de motricidade orofacial.

A equipe Lingv foi premiada com o segundo lugar geral na competição Idea-to-Product Latin America 2015 (I2P).

A equipe Lingvo foi premiada com o segundo lugar geral na competição Idea-to-Product Latin America 2015 (I2P).

Renata conta que a ideia surgiu após perceber, na clínica fonoaudiológica, uma necessidade de tornar o tratamento mais atrativo. “Pacientes em terapia na área de motricidade orofacial frequentemente apresentam alteração da força ou da mobilidade da língua. Parte da terapia indicada para esses casos consiste na realização de exercícios que precisam ser realizados em casa, mais de uma vez ao dia, durante várias semanas”, explica. Segundo ela, a repetição pode fazer com que eles se tornem monótonos, principalmente para crianças e adolescentes, dificultando a adesão do paciente ao tratamento, e comprometendo a evolução da terapia.

Dessa forma, a ideia foi criar um instrumento, para ser encaixado na boca do paciente, que funcionasse como um joystick controlado pela língua. Ele associa os exercícios para reabilitação muscular de força e de mobilidade da língua com jogos computacionais. “O T-station, como foi denominado, agrega o componente lúdico ao tratamento para torná-lo mais atraente para crianças e adolescentes. Além disso, fornece um relatório após cada atividade, contendo informações objetivas sobre o desempenho do usuário, que são importantes para mensurar a sua evolução dos pacientes”, expõe.

Sobre o dispositivo

Foto 3

T-station funciona como um joystick para jogos computacionais, sendo controlado pelas contrações da língua do paciente.

O T-station, depois de encaixado na boca do paciente e conectado ao computador, funciona como um joystick para jogos computacionais. Os jogos desenvolvidos demandam contrações da língua similares às realizadas na terapia convencional. Antes de cada atividade/jogo, o fonoaudiólogo pode ajustar a força que o paciente terá que empenhar, o tempo de contração muscular e a direção dos movimentos, conforme a necessidade.

A aluna de graduação do curso de Fonoaudiologia da UFMG, Mariana Amaral, bolsista de iniciação científica, está estudando a utilização do equipamento, que ainda se encontra em fase de testes, em crianças da faixa etária de 8 a 13 anos.

Execução

O instrumento foi desenvolvido pelo Grupo de Engenharia Biomecânica da UFMG como tema da tese da aluna Renata Furlan, no curso de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas, egressa do curso de Fonoaudiologia da UFMG e atualmente professora do Departamento de Fonoaudiologia da UFMG. A equipe foi composta por Andréa Rodrigues Motta, professora do Departamento de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG; o professor Estevam Las Casas do Departamento de Engenharia de Estruturas; e o aluno Guilherme André Santana do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas da UFMG. O projeto também teve o apoio da FAPEMIG.

Sobre a competição

A competição Idea to Product (I2P) ocorreu em São Paulo, nos dias 27 a 29 de agosto e tem como objetivo a educação para formação de novos empreendedores. Durante o evento, o produto foi avaliado por um grupo de juízes renomados quanto à tecnologia, seu propósito, necessidade do mercado, plano de desenvolvimento, vantagem competitiva e desenvoltura na apresentação oral. “O prêmio de segundo lugar da América Latina foi reflexo de um trabalho árduo da equipe e do potencial inovador da tecnologia desenvolvida”, ressalta Renata.

    Contador de visitas: 1.215 visualizações

    Veja também: