Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

Envelhecimento saudável é foco de discussões atuais


Publicado em: AgendaExternas - 13 de novembro de 2014

No Brasil, a faixa etária populacional de 60 anos ou mais representa cerca de 8% da população. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE-2010), com a mudança na pirâmide populacional, dentro de 25 anos o país será a sexta população no mundo em números de idosos, com 15% de indivíduos neste grupo etário.

“A população geriátrica é muito heterogênea e, felizmente, atendemos, cada dia mais, idosos saudáveis e independentes, com envelhecimento bem sucedido, inclusive em idades avançadas”, avalia a professora do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, Maira Tonidandel Barbosa.

Segundo a geriatra, um envelhecimento sadio pode depender de fatores genéticos, ambientais, de acesso aos cuidados de saúde e modos de vida. “Muitos fatores de adoecimento ao envelhecer estão relacionados aos péssimos hábitos ao longo da vida: uso do tabaco, abuso do álcool, alimentação incorreta, sedentarismo, isolamento social, e o controle inapropriado de doenças como hipertensão e diabetes”, enumera.

A especialista explica que é possível envelhecer bem, com ótima qualidade de vida, mesmo na presença de doenças crônicas. “É preciso que as doenças estejam bem controladas, e que o idoso mantenha a máxima funcionalidade e autonomia para a tomada de decisões. Para isso, há os profissionais da geriatria e da gerontologia que podem contribuir para o tratamento, cuidados, orientações e controle de doenças prevalentes do idoso”, ponderou.

 

Atendimento ao idoso em BH
O estado de Minas Gerais foi um dos pioneiros no atendimento especializado ao paciente idoso, com a criação de Centro de Referência de atendimento ao idoso, em 2002, e diversos programas especializados na área. “Há muitas conquistas e realizações desde o início dos programas, mas, ainda há muito que ser feito, já que com o rápido processo de envelhecimento populacional a demanda pelo atendimento é crescente em nosso estado e em BH”, ressaltou a professora.

Para que os programas e atendimentos sejam executados de forma uniforme e eficiente, é preciso inovar. De acordo com a geriatra, as novidades relacionadas aos cuidados aos idosos estão se multiplicando a cada dia. “Felizmente, a consciência e o conhecimento dos profissionais da área de saúde sobre as peculiaridades nos cuidados à população geriátrica estão melhores e mais divulgados nos últimos anos”.

Seminário Internacional de Geriatria
Para tratar destes e outros assuntos ligados à geriatria, o centro de Extensão do Hospital das Clínicas da UFMG (HC) promove, nos dias 20 e 21 de novembro, no Salão Nobre da Faculdade de Medicina da UFMG, o Seminário Internacional de Geriatria: Arcus Nord Pas de Calais e Minas Gerais. “Para este Seminário, teremos apresentações de diversos temas muito relevantes na Geriatria: desde as discussões sobre as grandes síndromes geriátricas e as doenças neuropsiquiátricas mais prevalentes, a conceitos e atualizações em diagnósticos e intervenções aplicados à síndrome de fragilidade do idoso, à oncogeriatria e aos cuidados paliativos”, informou a professora Maira Tonidandel, uma das coordenadoras do evento.

Confira a programação completa na página do Hospital das Clínicas da UFMG.

Veja o cartaz de divulgação.

Leia também: Inscrições abertas para Seminário Internacional de Geriatria

Mais informações: cenex@hc.ufmg.br

 

    Contador de visitas: 260 visualizações

    Veja também: