Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


“Interface entre empregabilidade e empreendedorismo” foi o tema da primeira palestra dentro da programação do 1º Congresso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG. O encontro ocorreu nessa quinta-feira, 22 de maio, logo após a sessão solene de abertura do congresso, no Salão Nobre da Unidade. A convidada para falar sobre o assunto foi a fonoaudióloga e professora da PUC Goiás, Silvia Ramos.

A proposta da professora foi mostrar o que é necessário para ser um grande fonoaudiólogo e um bom empreendedor.  “Na fonoaudiologia você tem a área que atua com o empreendedorismo: empresas que fazem atendimento de habilidades comunicativas, até mesmo na parte de audiologia. O que eu busquei trazer foi fazer com que os alunos e profissionais olhassem para esse lado de ser empreendedor na sua carreira, para que não haja desistência, haja um incentivo, para que  busquem sempre pela habilidade de competência, sempre estar atualizado”, explicou.

Primeiramente, a palestrante explicou que são necessários seis pilares, que precisam estar juntos, para atingir a empregabilidade. São eles: adequação vocacional; competência profissional; idoneidade; saúde física e mental; reserva financeira e fontes alternativas; e relacionamentos.

IMG_4893

Professora Silvia Ramos durante a palestra “Interface entre empregabilidade e empreendedorismo”

Silvia Ramos também passou dicas para os presentes. Segundo ela, é preciso fazer o que se gosta, aprimorar as competências, equilibrar a vida pessoal e profissional, treinar o relacionamento com as pessoas, não ter medo de mudanças, ser flexível, prezar pela honestidade, dentre outras.

Ainda segundo ela, também existem desafios para a empregabilidade. Dentre eles, a falta de vagas, o grande número de concorrentes e o maior rigor de seleção. Atualmente, existem no Brasil cerca de 38 mil fonoaudiólogos.  Segundo a palestrante, existe uma “C.H.A.V.E.” para o sucesso: Conhecimento, Habilidade, Atitude, Valores e Entusiasmo.

Silvia Ramos também explicou o perfil que o profissional deve ter para ser um empreendedor. Segundo ela, existem três papéis importantes: o técnico, que vive o presente, fica satisfeito no controle do fluxo, é individualista e determinado; o administrador, que vive no passado, é pragmático, almeja ordem e cria esquemas organizados para tudo; e o empreendedor, que vive no futuro, transforma situações triviais em oportunidades, é sonhador, inovador e criador de novos métodos.

Por fim, a fonoaudióloga Silva Ramos terminou sua palestra com a frase de Robert Menezes, “Ser empreendedor é preparar-se emocionalmente para o cultivo de atitudes positivas no planejamento da vida. É buscar o equilíbrio nas realizações, considerando as possibilidades de erros como um processo de aprendizado e melhoramento. Ser empreendedor é criar ambientes mentais criativos, transformando sonhos em riqueza.”

O 1º Congresso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG segue até sábado, dia 24 de maio. Confira a programação.

    Contador de visitas: 444 visualizações

    Veja também: