Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

Dores, fissuras e rachaduras são possíveis complicações na amamentação


Publicado em: ExternasRádio - 11 de junho de 2018

*Nathalia Braz

Saúde com Ciência apresenta série com recomendações de cuidados e tratamento para essas complicações.

O leite materno é o alimento mais completo e nutritivo para o recém-nascido, contém água, sais minerais, vitaminas, carboidratos e lipídios, além de fortalecer o vínculo entre a mãe e o bebê durante o ato da amamentação. O principal estímulo para a produção de leite é a sucção que o bebê faz na mama, e quanto mais ele consegue sugar, mais leite é produzido. No entanto, a amamentação pode ter algumas complicações, como fissuras, dores e rachaduras, ou até mesmo causas naturais, como o mamilo invertido.

A amamentação é um ato de aprendizado. O recém-nascido pode ter algumas dificuldades, principalmente nos primeiros meses da amamentação, pois nem sempre a mãe sabe as melhores posições. Alguns bebês podem não desenvolver força nem musculatura para sugar o leite, devido à falta de nutrientes necessários e o baixo peso. Segundo a professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFMG, Ana Luiza Lunardi, a posição indicada no ato da amamentação é a que o bebê esteja com a barriga posicionada na barriga da mãe, com a boca englobando toda a aréola mamária, o queixo encostado no peito e o nariz livre pra poder respirar em uma posição que a mãe o bebê estejam confortáveis, para evitar problemas futuros.

Posição ideal é a que haja conforto para a mãe o bebê. Foto: Reprodução – Pixabay

Se a mãe não segue essas recomendações, podem ocorrer rachaduras, fissuras e dores na mama. A professora explica o que fazer para melhorar essas situações: ”Tomar sol com a mama exposta, para fazer a cicatrização, de 10 à 15 minutos. Usar uma pomada a base de lanolina, existem várias no mercado, que umidifica aquela área e também ajuda na cicatrização. E fazer compressa fria quando a mama estiver dolorosa, pois compressa quente não se deve usar, isso só aumenta a produção de leite”. Ana Luiza também reforça que se a mama estiver muito dolorida e inchada, a mãe deve fazer o esvaziamento manual ou com a bombinha, evitando o empedramento do leite na mama.

Mamilo Invertido
O mamilo invertido é um quadro que afeta não só a estética da mulher, mas também dificulta o processo da amamentação. Caracteriza-se quando o bico do peito não se sobressai muito em relação à aréola, e não se projeta facilmente para fora quando estimulado. Quando é detectado este quadro a uma mulher, são recomendadas técnicas caseiras que permitem a volta do mamilo a uma posição mais anatômica. Ana Luiza cita outras alternativas que podem ajudar as mães nessa situação: “O bico de silicone, quando a mãe está com peito mais ferido ou mamilo invertido, a exposição da mama ao sol, e existem alguns kits na farmácia que auxiliam na amamentação. Vem com um tubo, que pode usar como, por exemplo, complemento ou até o leite materno tirado anteriormente. O neném pega seu peito e a sonda junto, e enquanto ele vai mamando, estimula-se a produção do leite”.

Sobre o programa de rádio

Saúde com Ciência é produzido pelo Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. Ouça na Rádio UFMG Educativa (104,5 FM) de segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h.

O programa também é veiculado em outras 187 emissoras de rádio, distribuídas por todas as macrorregiões de Minas Gerais e nos seguintes estados: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e Massachusetts, nos Estados Unidos.

*Redação: Nathalia Braz – estudante de Jornalismo
Edição: Mariana Pires

    Contador de visitas: 338 visualizações

    Veja também: