A deficiência não pode ser superada porque é inerente à pessoa, defendeu o deputado federal Eduardo Barbosa, em sua palestra no simpósio Como Superar a Deficiência, no sábado, 8 de outubro, no Salão Nobre. “O que o deficiente supera são preconceitos, obstáculos, descasos e omissões”, afirmou Barbosa, que é médico formado pela Faculdade de Medicina da UFMG.

Deputado Eduardo Barbosa (Foto: Fernanda Campos)

O simpósio apresentou também relatos de pessoas com deficiência, que contaram suas experiências de vida, do ponto de vista emocional e afetivo. Os depoimentos emocionaram o público e contribuíram para desfazer preconceitos. As palestras abordaram ainda questões relacionadas ao nanismo, surdez, autismo, visão subnormal, doença da Parkinson e Síndrome de Down; mas também elucidaram as novas abordagens e políticas públicas para os deficientes.

Cerca de 200 pessoas participaram do evento. Um dos organizadores, o professor Mauro Ivan Salgado, do departamento de Cirurgia, creditou o sucesso da iniciativa à variedade da programação e das abordagens apresentadas. “Além disso, [o simpósio] possibilitou integração entre diversas áreas, como a Medicina, o Turismo e o Esporte”, disse.

Foto: Bruna Carvalho

O Simpósio sobre Deficiência foi realizado pelo Centro de Extensão (Cenex) da Faculdade de Medicina da UFMG, em parceria com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Família Down e o Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Belo Horizonte e Montes Claros (Apubh).

 

    Contador de visitas: 147 visualizações

    Veja também: