Notícias Externas

Cuidados com a saúde no verão. O corpo agradece!


Publicado em: ExternasNotícias - 22 de janeiro de 2019


Aumento de atividades ao ar livre e dias mais longos pedem cuidados redobrados tanto com a pele quanto com o aparelho locomotor


Protetor solar é importante aliado para prevenção do câncer de pele. Foto: Carol Morena

Até que as águas de março fechem o verão, fique de olho na sua saúde. Isso porque nesta estação do ano, que vai até 20 de março, a incidência da radiação ultravioleta é maior. Por outro lado, como o sol se põe mais tarde, o período se torna ideal para aproveitar atividades ao ar livre, tirar o dia para ir ao clube ou cachoeira. Mesmo assim, atenção! Para que a estação do calor seja desfrutada de maneira saudável, é preciso tomar alguns cuidados tanto com a pele quanto com o organismo em geral.

O professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, Marcelo Araújo, alerta que os raios UV podem causar câncer de pele. Mas, diferentemente do que muitos pensam, essa radiação não está relacionada ao calor. Por isso, mesmo quando o tempo está nublado ou chuvoso é preciso se proteger. “O ‘sol quente’ é a radiação infravermelha e não a ultravioleta. Essa última é invisível e imperceptível”, explica.

Filtro solar

Para a prevenção do câncer de pele, um importante aliado é o filtro solar. Marcelo Araújo explica que o fator de proteção solar, representado nos rótulos dos produtos pela sigla “FPS”, corresponde apenas à proteção contra a radiação ultravioleta B. “O FPS deve ser superior a 30, mas é importante conferir se o produto tem também proteção contra ultravioleta A, que é a sigla PPD”, adverte.

Confira cinco dicas do profissional sobre o uso correto dos protetores:

1.O filtro solar deve ser resistente à água tanto para mergulhos quanto para outras atividades ao ar livre, para que não seja removido com o suor
2. Deve ser aplicado 30 minutos antes de ir ao sol e reaplicado a cada duas ou três horas e depois de mergulhos ou suor intenso
3. O filtro solar por si só não é proteção suficiente. Também deve ser observado o horário – evitar sol entre 10h e 16h (corrigindo no horário de verão)
4. Usar chapéus, bonés e roupas (se possível com tratamento antiultravioleta
5. Existem filtros solares específicos para crianças entre 6 meses e 6 anos de idade.

O perigo, no entanto, não se restringe à pele. O professor do Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia, André Aguiar, explica que o componente ultravioleta da luz solar também aumenta a chance de doenças como catarata e degeneração macular. “Ambas podem levar ao embaçamento e até à perda da visão. A melhor proteção, sem dúvida, são os óculos escuros de qualidade comprovada”, aconselha.

Cuidados com piscinas

“Na hora do lazer muitos nem se lembram, mas é importante evitar permanecer com roupas molhadas durante muito tempo, deitar na orla da piscina sem uma proteção para a pele e usar vestiários com os pés descalços”, orienta o professor da Faculdade de Medicina, Marcelo Araújo.

A água de piscina que não recebeu tratamento correto também pode prejudicar os olhos. “Pode-se pegar uma doença, conjuntivite, por exemplo. Mas mesmo o excesso de cloro também irrita o olho”, explica André Aguiar. Ele alerta que o maior risco é para pessoas que usam lentes de contato. Isso porque quase todas as piscinas têm uma ameba que, apesar de não atacar o olho normal, costuma entrar nas lentes, onde se proliferam.

Clique na imagem para expandir.

Banhos e hidratantes

Evitar banhos demorados e quentes são alguns cuidados importantes para a pele e o cabelo, assim como evitar o uso de buchas e sabonetes antissépticos. Os sabonetes brancos comuns são preferíveis. “E cuidado: o excesso de banhos pode levar ao maior ressecamento da pele e dos cabelos”, alerta o professor Marcelo Araújo.

A hidratação, por meio de cremes hidratantes, é válida. Mas é preciso ter cuidado para não usá-los em excesso, com a intenção de compensar o efeito do ressecamento da pele e do cabelo. Além disso, a aplicação desses produtos deve ser da maneira adequada: “logo depois do banho e, de preferência, através de produtos sem perfume e corantes”, orienta Marcelo.

Exercícios físicos 

Para o professor do Departamento do Aparelho Locomotor da Faculdade de Medicina, Lúcio Honório Carvalho, a grande preocupação com os exercícios físicos são com os “guerreiros de final de semana”. Isso porque eles são mais sedentários durante a semana e tentam recuperar o tempo perdido nos finais de semana e férias. “Essas pessoas costumam fazer atividades para as quais não estão adequadamente condicionadas, aumentando a chance de lesões sobre o aparelho locomotor”, comenta Lúcio.

Durante as atividades, também é importante tomar cuidado com quedas, principalmente em relevos escorregadios e com pedras. “Lesões graves inviabilizam a função logo após o evento e devem ser tratadas por médico em ambiente hospitalar. Lesões de menor gravidade, apesar de dolorosas, não impedem a função da articulação ou da extremidade e podem ser abordadas inicialmente com as medidas do ‘PRICE’ — do inglês: proteção, repouso, gelo, compressão e elevação”, explica.

Hidrate-se

Por último, mas tão importante quanto as dicas anteriores, é a hidratação. Tomar muito sol ou exceder nos exercícios físicos leva ao aumento da transpiração e, consequentemente, à perda de água do organismo. “Se não há reposição de líquido, a pessoa pode desidratar. Então é muito importante, especialmente em dias quentes como os que estamos vivendo agora, se hidratar muito”, frisa a professora do Departamento de Clínica Médica, Maria do Carmo Passos.

Leia também: Calor pode provocar queda de pressão. Saiba como evitar

    Contador de visitas: 289 visualizações

    Veja também: