Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Integração e trabalho conjunto entre profissionais de diferentes áreas é um caminho para desenvolvimento da saúde da população.

Como parte das atividades relacionadas ao 2º Congresso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG, ocorreu, na manhã desta sexta, 20, a palestra sobre o papel do fonoaudiólogo no Núcleo de Apoio a Assistência da Família (Nasf). A apresentação foi presidida pelo mestrando de Fonoaudiologia da UFMG, Tiago Costa Pereira, e contou com a presença de alunos e profissionais da área.

Criado pelo Ministério da Saúde em 2008, o Nasf tem como objetivo ampliar as ofertas de saúde na rede de serviços, proporcionando maior abrangência às ações referentes à Atenção Básica no Brasil. Os grupos são formados por indivíduos de múltiplas áreas, atuando de forma conjunta com as equipes de Saúde da Família. Essa integração com os médicos foi um dos principais pontos defendidos por Pereira.

Tiago Pereira - Fono e Nasf

Tiago Costa Pereira defendeu o trabalho integrado com os profissionais de saúde. Foto: Larissa Rodrigues

Ele destacou a necessidade do profissional conversar com outros, tratando-os de forma igual. “O ideal é que o fonoaudiólogo sente com o outro médico e discutam, de forma horizontal, o melhor a ser feito com o paciente, compartilhando conhecimentos sobre ele”, comentou.

Além desta integração, para Pereira, é necessário que os fonoaudiólogos estejam dispostos a darem atenção contínua e integral à população, por meio da atuação preventiva que busque minimizar os problemas de fala. “Hoje, a grande demanda dos atendimentos individuais nos centros de saúde é composta por casos de alteração de fala e linguagem, de pacientes com até nove anos e com predominância do sexo masculino”, contou. “No caso das visitas familiares, a disfagia – problema no processo de ingestão dos alimentos – corresponde ao maior número de casos, presente, sobretudo, em mulheres com mais de 60 anos”, completou.

Segundo Pereira, a realização de palestras como a do Congresso é importante para conscientizar os envolvidos sobre a dimensão e amplitude do trabalho realizado. “O profissional vai sair daqui sabendo que o seu trabalho é necessário e que esse trabalho pode ser dinâmico. É desafiador, mas a pessoa pode conseguir se realizar neste ramo.”, finalizou.

2º Congresso de Fonoaudiologia

O 2º Congresso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG, que acontece entre os dias 19 e 21 de maio, tem como tema central “Ciência e Tecnologia para o desenvolvimento profissional”. Ao todo reúne mais de 400 participantes, formados por fonoaudiólogos, estudantes e profissionais da área de saúde. A programação completa e outras informações estão disponíveis em www.medicina.ufmg.br/congressofono

    Contador de visitas: 403 visualizações

    Veja também: