Notícias Externas

Comunidade volta às urnas em consulta que definirá nova gestão da UFMG


Publicado em: ExternasNotícias - 20 de novembro de 2017

Chapas 1 (Renato-Carmela) e 2 (Sandra-Alessandro) disputam o segundo turno nos dias 21 e 22 de novembro

A primeira etapa da consulta definiu as chapas 1 e 2 para a votação definitiva. Foto: Foca Lisboa / UFMG.

Servidores e estudantes da UFMG voltarão às urnas nesta semana para o segundo turno da consulta à comunidade que vai subsidiar a escolha dos gestores da instituição para o período 2018-2022.

Participarão da disputa, nessa etapa, a Chapa 1 (UFMG em Foco) – Renato de Lima Santos, da Escola de Veterinária (reitor) e Carmela M. Polito Braga, da Engenharia (vice) – e a Chapa 2 (UFMG Pública e Diversa) – Sandra Regina Goulart Almeida, da Fale (reitora), e Alessandro Moreira, da Engenharia (vice).

A nova rodada de votação será nos dias 21 (exclusivamente no Hospital das Clínicas, das 6h às 20h30) e 22 (em todas as unidades, das 8h às 17h). Nas unidades e órgãos em que houver expediente noturno, o horário de votação se estenderá até as 22h.

Com base no resultado da consulta, o Colégio Eleitoral – formado pelos integrantes
dos conselhos Universitário, de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) e de
Curadores – vai elaborar lista tríplice, encabeçada pelo vencedor do pleito,
que será encaminhada ao Ministério da Educação, responsável pela definição dos
novos ocupantes dos cargos de reitor e vice (integrantes da mesma chapa,
necessariamente).

Ponderação

Como no primeiro turno, estão aptos a votar servidores dos quadros permanentes – técnico-administrativos e docentes de ensino superior e de ensino básico, técnico e tecnológico –, alunos de graduação, especialização, residência (incluída a pós-doutoral), mestrado e doutorado e estudantes maiores de 16 anos da Escola de Educação Básica e Profissional.

Poderão votar 50.503 membros da comunidade acadêmica – 3.065 docentes, 4.369 técnicos e 43.069 discentes. Em Belo Horizonte, haverá postos de votação em 22 unidades do campus Pampulha, além da Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Escola de Enfermagem, Faculdade de Direito, Escola de Arquitetura e Museu de História Natural e Jardim Botânico. Fora da capital, as seções eleitorais estarão instaladas no Campus Cultural de Tiradentes, no Instituto Casa da Glória, em Diamantina, e no Instituto de Ciências Agrárias, em Montes Claros.

O sistema de ponderação de votos definido pelo regulamento da consultas prevê que o voto dos professores tem peso de 70%, enquanto o dos servidores técnico-administrativos e o dos alunos vale 15% (cada segmento). A fórmula de ponderação considera o universo total de votantes em cada um dos grupos.

Apuração

Haverá uma junta apuradora para cada posto de votação. A apuração será realizada por meio de mapas fornecidos pela Comissão Eleitoral, apresentando os resultados por segmentos (docentes, técnico-administrativos em educação e discentes). Os documentos serão, então, encaminhados à Comissão Eleitoral, imediatamente após o término da apuração. Uma vez centralizados todos os resultados, a Comissão Eleitoral divulgará, por intermédio da rede da UFMG, os resultados da consulta em ata sucinta e os afixará em locais públicos da Universidade.

site da consulta à comunidade contém mecanismo que possibilita ao eleitor
conhecer seu local de votação.

Primeiro turno

Na primeira fase de votação, realizada nos dias 8 e 9 deste mês, a Chapa 1 conquistou 27,97% dos votos válidos ponderados, a Chapa 2 alcançou 48,12% dos votos, e a Chapa 3 (UFMG+) – Andréa Mara Macedo, do ICB (Reitora), e Paula Miranda-Ribeiro, da Face (vice) – recebeu 23,91%. Houve 0,86% de votos brancos e 1,23% de nulos.

No total, 9.695 integrantes da comunidade acadêmica participaram da votação (2.215 docentes, 2.664 servidores técnico-administrativos e 4.816 estudantes).

Com Centro de Comunicação da UFMG.

    Contador de visitas: 321 visualizações

    Veja também: