Começaram na tarde desta quinta-feira, 22, as oficinas do 1º Congresso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG. Estudantes de graduação e pós-graduação, residentes e profissionais da área de saúde e educação já estão participando das seis oficinas oferecidas, antes mesmo da abertura oficial do evento, que será realizada logo mais, às 18h, no Salão Nobre da Unidade.

Na oficina “Manobra e posicionamento da criança com disfunção neuromotora”, ministrada pela fonoaudióloga Carla Menezes da Silva, os participantes estão aprendendo como facilitar o tratamento de crianças com paralisia cerebral. “Neste tipo de patologia, essas crianças, na maioria das vezes, têm muita dificuldade em relação à alimentação, desenvolvimento da mastigação, da linguagem e da fala. Nossa ideia é organizar algumas manobras que possam favorecer o desenvolvimento dessas funções”, explica Carla Menezes.

congresso_fono_ 043

Oficina “Manobra e posicionamento da criança com disfunção neuromotora”. Foto: Bruna Carvalho.

Outra oficina, “Comunicação Alternativa e Suplementar”, está sendo conduzida pela fonoaudióloga Soraia Cunha Peixoto. Dentre as atividades, estão a definição da comunicação alternativa e a discussão dessas alternativas, como as mais novas tecnologias. De acordo com Soraia Cunha, o encontro vai focar mais no Sistema de Comunicação por troca de figuras (Pecs), discutindo as fases desse método, que é baseado em pesquisa e evidência. “A maioria das pessoas que estão presentes hoje são fonoaudiólogas que estão atuando nessa área. Então essa atividade vai trazer mais conhecimento para elas”, avalia Soraia.

Ministrada pela fonoaudióloga Juliana Nunes,  por sua vez, a oficina “Grupos terapêuticos na atenção básica” mostra como trabalhar em grupos na atenção primária.“Nessa oficina, os participantes já vão ter um encontro com atividades práticas, mostrando quais as estratégias que a gente usa com os pacientes saudáveis ou doentes, mas estimulando eles a participarem de grupos, nos encontros coletivos no serviço de saúde na comunidade”, explica Juliana. Ainda segundo ela, este encontro vai ajudar o participante a voltar para o seu serviço e aplicar o aprendizado na sua comunidade e serviço de saúde.

Também estão sendo realizadas as oficinas “Moldes Auditivos: da seleção à confecção”, apresentada pela empresa Phonak, patrocinadora do Congresso; “Prática do Método de Exercícios da Função Vocal”, ministrada pela professora da Faculdade de Medicina da UFMG, Letícia Caldas e “Por que o mestrado em Ciências Fonoaudiológicas?”, pelas professoras Ana Cristina Côrtes Gama e Stela Maris Aguiar Lemos, também do Departamento de Fonoaudiologia da unidade.

As atividades do 1º Congresso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina prosseguem até sábado, 24 de maio.

Mais informações: www.medicina.ufmg.br/congressofono

Leia também: 1º Congresso de Fonoaudiologia começa nesta quinta-feira

Fonoterapia pode evitar afastamento de professores

 

    Contador de visitas: 522 visualizações

    Veja também: