Programa de rádio desta semana ainda destaca cuidados com a barba e revela mitos e verdades sobre os cabelos e a falta deles.

Mergulhar os fios em chás de ervas como prática de cuidado capilar: alecrim para dar vida aos fios, camomila para destacar as nuances de loiro e cascas de nozes para escurecer as madeixas. Os tempos eram outros. Hoje, com o desenvolvimento da indústria farmacêutica e sua variedade de xampus e condicionadores, entre outros produtos cosméticos, o que não faltam são opções para cuidar do cabelo. Mas algumas dúvidas persistem, como o tratamento mais indicado para a caspa, sintoma da dermatite seborreica.

Uma descamação do couro cabeludo, que provoca uma coceira inconveniente e pode ser confundida com falta de higiene. Esse é um dos sintomas da dermatite seborreica, causada por uma predisposição genética. A dermatologista Ana Francisca Junqueira, coordenadora do Ambulatório de Tricologia e Doenças do Couro Cabeludo do Hospital das Clínicas (HC) da UFMG, explica que ela ocorre por uma inversão das gorduras da pele. “Algumas gorduras que deveriam estar em maior quantidade estão em baixa, e vice-versa.”

Ilustração: Carina Cardoso

Em alguns casos, apesar dessa relação orgânica, o quadro de caspa é agravado devido a fatores externos. “O uso de água muito quente no banho pode estimular a oleosidade da pele e predispor à dermatite seborreica em quem já tem predisposição genética”, esclarece a dermatologista. Ela acrescenta que a falta de lavagem do cabelo e a utilização de cremes sem enxague em abundância na raiz e no couro cabeludo, não somente nas pontas dos fios, também são fatores de risco.

Ana Francisca Junqueira ainda revela que, normalmente, crianças não têm caspa, porque os hormônios sexuais também atuam na oleosidade da pele. Logo, o problema é mais recorrente após a puberdade. “Geralmente, há dois picos de incidência: logo depois da adolescência, até os vinte e poucos anos, e por volta dos 50, 60 anos, principalmente nos homens.”

Tratamento

Há inúmeras linhas de xampu anticaspa convencional nas prateleiras das farmácias. Mas, de acordo com a profissional do HC, esses produtos merecem uma ressalva. “Eles podem controlar uma oleosidade e uma caspa bem leve, discreta. Na maioria dos casos, a gente precisa ‘lançar mão’ dos xampus anticaspa de laboratório farmacêutico, vendidos com prescrição médica.”

Se o incômodo estiver trazendo problemas, o paciente deve procurar um dermatologista, o responsável por receitar xampus com as concentrações e princípios ativos corretos para cada caso.

Tema da semana

Na série Barba, Cabelo e Bigode, especialistas discutem problemas capilares e dão dicas para cabelos e barba saudáveis. O professor da Faculdade de Medicina, Claudemir Aguilar, fala sobre a calvície em um dos programas da série. Confira a programação:

Caspa – segunda-feira (22/04/2013)

Dúvidas capilares I – terça-feira (23/04/2013)

Calvície – quarta-feira (24/04/2013)

Dúvidas capilares II – quinta-feira (25/04/2013)

Barba – sexta-feira (26/04/2013)

Sobre o programa de rádio

O Saúde com Ciência é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. De segunda a sexta-feira, às 5h, 8h ou 18h03, ouça o programa na rádio UFMG Educativa, 104,5 fm. Ele ainda é veiculado em vinte e oito emissoras de rádio em Minas Gerais. Também é possível conferir as edições pelo site do Saúde com Ciência.

    Contador de visitas: 1.082 visualizações

    Veja também: