Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

Asfixia: como reconhecer e evitar situações adversas


Publicado em: Aspas SonorasExternas - 1 de março de 2018

Nova edição das Aspas Sonoras apresenta principais causas e primeiros socorros em casos de asfixia

Marcos Paulo Rodrigues*

A asfixia, dificuldade respiratória que leva à falta de oxigênio no organismo, é um exemplo comum de acidentes domésticos, situações que podem ocorrer a qualquer momento dentro de casa. Mesmo podendo ser evitados com medidas simples, não costuma ser dada a devida atenção aos causadores desses acidentes.

A ingestão de corpos estranhos, como brinquedos, objetos de pequenas dimensões e mesmo alimentos mal mastigados, estão entre as principais causas associadas a episódios de asfixia. A professora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, Priscila Ferri Liu, dá mais detalhes sobre o que é e como reconhecer a asfixia e o engasgo, que pode provocá-la:

 

Além do engasgo, resultado da ingestão de corpos sólidos e líquidos, as causas da asfixia podem derivar de outras ações que prejudicam a entrada de oxigênio nas vias aéreas superiores, por exemplo, quando crianças colocam sacolas plásticas na cabeça, impedindo a respiração. Para evitar tais episódios, as sacolas costumam apresentar avisos alertando o perigo de deixá-las ao alcance das crianças. Priscila Liu também dá dicas de primeiros socorros:

 

 

Simulação de Manobra de Heimlich. Foto: Carol Morena

A manobra de Heimlich, principal método pré-hospitalar de desobstrução das vias áreas por corpo estranho, deve ser realizada com a pessoa acordada. A manobra foi descrita pela primeira vez pelo médico estadunidense Henry Hemlich, em 1974, e induz uma tosse artificial. A pediatra fala sobre as diferenças dos métodos de desobstrução, de acordo com a faixa etária do indivíduo:

 

 

Com o objetivo de evitar acidentes mais graves, principalmente relacionados às crianças menores e aos brinquedos, Priscila ressalta a importância de serem observadas as classificações indicativas dos mesmos, além da manipulação de pequenos alimentos e objetos que podem provocar acidentes:

 

 

No local de um acidente doméstico, principalmente quando não há pessoas capacitadas para a prestação dos primeiros socorros, deve-se acionar o serviço de atendimento de urgência. O médico intensivista, diretor técnico e gerente assistencial do Hospital João XXIII, Marcelo Lopes Ribeiro, exemplifica como é feito esse atendimento, que não se resume à presença da ambulância e dos socorristas no local:

 

 

Outros acidentes domésticos comuns no dia a dia, como afogamentos, choques elétricos, queimaduras, cortes e intoxicações, suas formas de prevenção e primeiros socorros, foram destaques da série “Acidentes Domésticos”. A série, produzida pelo programa de rádio Saúde com Ciência, foi ao ar entre os dias 29 de janeiro e 2 fevereiro deste ano.

Aspas Sonoras

As “Aspas Sonoras”, produção do Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG, ampliam a discussão sobre os temas abordados nas séries de rádio realizadas pelo Saúde com Ciência. As matérias apresentam áudios e textos inéditos do material apurado na produção das séries.

*Redação: Marcos Paulo Rodrigues – estagiário de Jornalismo

Edição: Lucas Rodrigues

    Contador de visitas: 586 visualizações

    Veja também: