Faculdade de Medicina

Universidade Federal de Minas Gerais


Notícias Externas

Angiologia vai além do tratamento de varizes


Publicado em: Divulgação científicaExternas - 19 de junho de 2015

Saúde com Ciência apresenta série sobre a angiologia – ramo ainda recente da Medicina –,  que trata doenças  do sistema circulatório.

marca-saude-com-ciencia1O sistema circulatório é dividido em vascular sanguíneo, formado pelas veias e artérias, e vascular linfático. Seu órgão central, o coração, é tratado à parte por outro médico: o cardiologista. Mas o cuidado com o sistema circulatório, responsável por levar sangue, oxigênio e nutrientes para todo o corpo, fica a cargo do angiologista, especialista que trata das doenças e problemas de origem circulatória. A angiologia é, para muitos, conhecida apenas por tratar das varizes, mas ela é muito mais ampla. Afinal, o sistema circulatório está presente em todo o corpo.

Seu funcionamento é explicado pelo professor do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da UFMG, Ernesto Lentz. “O sangue é levado para todo o organismo através dos batimentos cardíacos: o coração batendo manda sangue para o vaso principal que é a aorta, que se divide em ramos diversos e se espalha pelo organismo todo. O sangue vai para a intimidade dos tecidos, cumpre sua função de levar oxigênio e nutrientes e depois ele tem que voltar para o coração para ser bombeado pelos pulmões, ser reoxigenado e ser novamente mandado para o corpo inteiro”, afirma.

Parte desse sangue, o soro, é extravasado para fora dos vasos e acaba sendo acumulado nos tecidos. Esse soro tem o nome de linfa, que é recolhida por vasos microscópicos chamados vasos linfáticos que, seguindo um trajeto anatômico bem definido, volta para o coração, segue para o pulmão e recomeça novamente. Esse processo acontece continuamente dentro do organismo.

Ilustração_Angiologia_Página

Ilustração: Victor Carvalho

Problemas circulatórios e atividade física

No entanto, alguns problemas surgem devido a fatores diversos, como a má alimentação, hábitos não saudáveis, como fumar e a ausência de exercícios físicos, assim como a influência de fatores genéticos. Entre as doenças mais comuns estão as varizes, veias dilatadas que surgem nos membros inferiores provocando saliências na pele. E não é só a estética que é afetada, mas também são frequentes sintomas como cansaço, inchaço e dores nas pernas.

Segundo o professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, André Cabral, as varizes têm causas múltiplas. “Nós podemos citar o componente genético, o número de horas que essa pessoa fica em pé parada ou sentada sem se levantar, o peso da pessoa, o número de gestações, se a pessoa usa anticoncepcional oral ou outro método contraceptivo hormonal”, explica. Outro fator para a incidência de varizes é a idade, já que com o passar do tempo, as veias tendem a se dilatar, ficando mais frágeis. O tratamento, que deve ser feito com o angiologista, leva em conta a situação do paciente, que vai do uso de meias elásticas até, em casos mais graves, uma intervenção cirúrgica.

A falta de exercícios físicos, em conjunto com a ausência de movimentação do corpo, principalmente no trabalho, onde a maioria das pessoas fica por horas em uma mesma posição, e o ganho de peso são fatores que predispõem doenças de origem circulatória. Além das varizes, o acúmulo de linfa nos membros inferiores também pode ocasionar inchaço e dor.

Para evitar este tipo de problema, o professor Ernesto recomenda que as pessoas tenham um hábito de exercício físico regular de, no mínimo, três vezes por semana. Segundo ele, os melhores exercícios para melhorar a circulação sanguínea são a natação, seguida da hidroginástica e do jogo de tênis. Isso não significa, porém, que a caminhada e as demais atividades físicas sejam menos benéficas. “A pessoa escolhe aquilo que melhor se adapta ao seu tipo e seu gosto, mas ela tem que praticar algum esporte”, conclui.

Sobre o programa de rádio

Saúde com Ciência, que apresenta a série Angiologia entre os dias 22 e 26 de junho de 2015, é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. De segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h, ouça o programa na rádio UFMG Educativa, 104,5 FM.

Ele também é veiculado em outras 105 emissoras de rádio, que estão inseridas nas macrorregiões de Minas Gerais e nos seguintes estados: Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Tocantins e Massachusetts, nos Estados Unidos.

    Contador de visitas: 1.865 visualizações

    Veja também: